030118-cotidiano-rioacre-tvgazeta

Desequilíbrios no clima exigem mais rigor em monitoramento

Em janeiro, deve chover o dobro da média

Em janeiro, deve chover o dobro da média para o período. O Corpo de Bombeiros monitora os rios e faz um alerta para quem mora em áreas de risco no sentido de evitar o contato com água de enxurradas.

Na semana passada, o Rio Acre atingiu 11,64 metros. Até esta terça-feira (2), houve uma redução de 3,5 metros: ou seja, o rio chegou a 8,15 metros. A previsão para os próximos meses é de chuva acima da média.

Em janeiro, deve chover o dobro da média para o período. O Corpo de Bombeiros monitora os rios e faz um alerta para quem mora em áreas de risco no sentido de evitar o contato com água de enxurradas.

O Corpo de Bombeiros está em constante monitoramento dos rios e já atendeu ocorrências de famílias desabrigadas e atingidas por transbordamento de igarapés.

“No mês de dezembro, atendemos famílias que foram atingidas por cheias de igarapés, sobretudo no caso do Iquiri e próximo a Plácido de Castro. A Defesa Civil desses municípios, juntamente com a Defesa Civil estadual e o Corpo de Bombeiros, fez esses atendimentos para minimizar a situação dessas famílias”, informou o assessor de comunicação do Corpo de Bombeiros, Major Cláudio Falcão.

Para janeiro, a previsão climática é de muita chuva. Pelo menos, o dobro da média, que é de 280 milímetros. O resultado disso será acúmulo de água nos rios e igarapés, causando o transbordamento deles.

Água é um atrativo para crianças, mas pode significar um risco para a saúde delas se ela for contaminada. Com inundações em áreas urbanas, bueiros e córregos também transbordam e os pais precisam ficar em alerta.

“É ter o cuidado de não manter contato com essa água de chuva, uma vez que pode estar contaminada por uma série de situações, vindo a causar prejuízos à saúde”, acrescenta.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*