040119-cotidiano-exames-acai

Dezenas realizam exames para diagnosticar doença de Chagas

Atendimento vai ser realizado até dia 18 deste mês

O primeiro dia de atendimento no Centro de Apoio Diagnóstico Municipal (CADE) foi movimentado. Dezenas de pessoas que consumiram o açaí comercializado no mercado Elias Mansour e seu entorno, no centro de Rio Branco, foram fazer exames.

A aposentada Edenyra Assef nem consumia mais a fruta, com medo da doença de Chagas. Mas acabou experimentando do fruto numa recente visita ao mercado. Não teve jeito, ela precisou fazer o exame com os filhos. “Eu fui ao mercado, aí o rapaz lá falou – tenho açaí aqui bem fresquinho, a senhora não quer? Daí eu disse tá, então levei pra casa e nós três tomamos.”

Na ultima sexta-feira (1), os secretários de saúde e agricultura de Rio Branco realizaram coletiva de imprensa para falar que o açaí do Elias Mansour estava contaminado com o parasita que transmite a doença de chagas. Diante disso, houve a necessidade de chamar o público para esse procedimento.

“É preciso trazer o cartão do Sus e documento de identidade, todas as pessoas que compraram ali no mercado Elias Mansour, se você comprou em outra localidade não precisa fazer coleta do material”, disse a diretora de assistência da Semsa, Jesuíta Arruda.

O atendimento ocorre em dois turnos e vai até o dia 18 de fevereiro. O resultado do exame não demora cerca de 3 dias para sair. “Quem consumiu o açaí do dia 15 de dezembro pra cá, nós estamos fazendo a gota espessa, que é m tipo de exame mais rápido. Do inicio de novembro a 15 de dezembro, ele vai ser encaminhado pro Lacen para fazer a sorologia, que capta com mais precisão,” explicou Jaqueline Almeida, do Cade.

A doença de chagas pode até matar. Segundo o último levantamento realizado pela Secretaria de Saúde do Estado, de 2015 a 2017 foram registrados 36 novos casos no Acre.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*