041116-cotidiano-onibus-tvgazeta 410 305 1

Empresas pedem aumento de passagem para R$4,10

Conselho de Transporte vota aumento na próxima semana

O Conselho de Transporte Público se reuniu mais uma vez, onde foi apresentado oficialmente o valor de reajuste que as empresas de ônibus pedem. Somente na próxima semana, o conselho delibera qual será o novo preço da passagem.

Se o Conselho de Transporte Público não se opor, o novo valor da tarifa de ônibus em Rio Branco será de R$ 4,10. Esse foi o valor protocolado pelo Sindicato das Empresas de Transportes Coletivos do Acre (Sindicol) junto à prefeitura. Na planilha que exemplifica os custos, o sindicato coloca, por exemplo: aumento da inflação, do salário mínimo e do diesel.

“A tarifa de transporte é calculada com base nos custos de operação que são os insumos principais como óleo diesel, lubrificante, pneu, os custos de pessoal, mão de obra, impostos e remuneração de capital, além do investimento na frota. Hoje temos uma frota com idade média inferior a 4 anos. Então automaticamente é uma tarifa mais alta por que houve investimento nesse período”, explica um dos diretores do Sindicol, Marcelo Cavalcante.

O conselho elegeu nesta quarta-feira, um relator, que nos próximos 7 dias vai avaliar os motivos pelos quais as empresas de ônibus pedem o reajuste de R$ 4,10. Na próxima quarta-feira, às 15 horas, esse relator vai apresentar um parecer, dizendo se concorda ou não com as empresas. Ele poderá ainda propor outro valor para a tarifa.

O Conselho de Transportes é formado por 10 representantes de associações e entidades como Associação Comercial, Federação das Indústrias, sindicatos dos mototaxistas e trabalhadores dos transportes, estudantes universitários e secundaristas, entre outros. A RBTrans, autarquia da prefeitura municipal, também participa.

“Pra RBTrans a gente deve chegar a um número um pouco melhor do que eles estão apresentando, mas ainda não temos oficialmente”, disse o diretor da RB Trans, Gabriel Forneck.

O último reajuste na tarifa aconteceu em janeiro de 2015, e passou de R$ 2,90 para R$ 3,00. Foi uma forma de oficializar a falta do troco de R$0,10. Desta vez, a estimativa é que o reajuste não passe de R$0,50, ou seja, que fique em R$ 3,50. A estimativa é uma lógica de que R$ 4,00 é exorbitante e R$ 3,50 amenizaria o desgaste com a população. A reação a tudo isso, será sentida a partir de agora.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*