021117-cotidiano-cidadedopovo-tvgazeta2

Estudo avalia imóveis do bairro Cidade do Povo

Análise qualitativa apontou falhas na execução do projeto

Acadêmicos do curso de Engenharia Civil da Ufac realizaram avaliação de casas do Cidade do Povo. O trabalho faz parte de um projeto de extensão e detectou alguns problemas que afetam o bem estar dos moradores. A avaliação das moradias pode ser usada para cobrar mais zelo nas próximas construções.

A professora universitária Josélia Alves coordenou um projeto de extensão com objetivo de avaliar algumas unidades habitacionais do Cidade do Povo. Segundo ela, não foi uma amostragem, mas pela dimensão do bairro e da quantidade de alunos que participaram, apenas 27 casas puderam ser avaliadas, portanto, a projeto foi qualitativo. O trabalho durou 2 meses e detectou vários problemas de construção e equipamentos.

“Não tem muito tempo, que essas casas foram construídas e entregues, 2011, 2012. A gente acha que tem muitos problemas construtivos, por exemplo: janelas deterioradas, quando chove entra água pelas janelas e portas. Algumas instalações como pias e chuveiros que nunca funcionaram, ou se desgastaram. Algumas casas já tiraram a pia. A água que chega e não tem força para subir. Então, muitos nem usam mais o chuveiro e colocam a caixa d’água em baixo”, explica.
Um questionário foi respondido pelos moradores e apresentou os seguintes resultados.

52% dos proprietários dos imóveis disseram que o aquecedor solar não funciona bem;

81% disseram que passa água pelas portas externas quando chove

63% dos moradores afirmaram que alguma parte do piso já está quebrada

52% dos entrevistados afirmaram que paredes apresentaram rachaduras

63 % disseram que o revestimento está descascando

Por outro lado, a professora explica que os moradores gostam de habitar no local e citam, por exemplo, o apego à vizinhança. Superando, inclusive, o descontentamento com os problemas estruturais.

O projeto de extensão do curso de Engenharia Civil da Ufac foi importante para o aprendizado dos acadêmicos e também pode ser usado pelo poder público, na fiscalização das novas construções habitacionais. De acordo com o projeto inicial do governo, ainda devem ser construídas pelo menos mais 7 mil casas no Cidade do Povo.

Outros dados curiosos que a pesquisa dos acadêmicos de engenharia trouxe guardam relação com a perspectiva dos moradores sobre o conjunto habitacional.

Bons vizinhos, escolas e creches e iluminação pública despontam como as principais vantagens do Cidade do Povo. Os principais problemas apontados no local são transporte público, distância da cidade e falta de Segurança Pública.

Os acadêmicos apresentaram a conclusão da avaliação das moradias aos proprietários das unidades habitacionais e também se propuseram em elaborar um projeto de reforma ou ampliação, conforme o pedido dos moradores.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*