Banner-minorokimpara

Uso de motéis para cientistas não preocupa reitor

“Nunca a Ufac foi tão movimentada”, diz Minoro

O reitor da Ufac, Minoro Kimpara minimizou os problemas de acolhimento de parte dos professores e pesquisadores que vêm ao Acre para participar da 66ª Reunião da SBPC. O encontro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência acontece entre os dias 23 e 28 e evidenciou como é deficitária a rede hoteleira na Capital do Estado.

Quase 4 mil pessoas vindas de outros estados do Brasil e do exterior vão participar do evento que reúne trabalhos e pesquisas acadêmicas que discutem a Amazônia. Há mais de 60 anos a SBPC faz reuniões anuais em universidades.

Pela primeira vez, o Acre vai sediar o evento que, só na organização, tem quase 200 pessoas e vai receber um público diário estimado de 15 mil visitantes. Com a falta de quarto em hotéis, a organização se virou como pôde: até quartos de motel estão reservados para os visitantes.

No bairro Tucumã, que fica em frente o campus da UFAC, foram várias casas e quartos alugados. Quem tinha um espaço na casa, vai ganhar um pouco de dinheiro.
Nunca a Universidade foi tão movimentada. São os preparativos finais para a reunião que começa nessa quarta-feira.

Enormes tendas, que são refrigeradas, servirão de palcos para a amostra de diversos trabalhos e pesquisas que discutem a Amazônia. Temas como desmatamentos, comunidades indígenas, e até a recente alagação do Rio Madeira.

De acordo com o reitor da UFAC, Minoru Kimpara, os trabalhos apresentados vão servir de base para novas políticas públicas, e vai ser a ponte para um intercâmbio com outros centros de ciência espalhados pelo Brasil e o mundo.

Além das pesquisas, a SBPC também terá seu espaço cultural como apresentações de dança e música mostrando a diversidade da região.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*