Família pede resposta sobre morte de criança em operação do Bope

Segundo a família uma audiência foi adiada há mais de um ano e não tem data para acontecer

Foto: Cedida.

Familiares de Maria Cauane, que morreu durante uma operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) no bairro Preventório em 2018, pedem celeridade da justiça para o caso. Segundo eles, uma audiência marcada para março de 2020 foi adiada, mas até agora não foi remarcada.

“Estamos com o coração partido, todo dia é um sofrimento, os irmão dela sentem a falta dela e nós como pais também e queríamos uma resposta, nossa filha era uma criança com o sonho de ser médica. A pandemia começou e ninguém entrou em contato com a gente, não sabemos de nada, os números que passaram para gente não são atendidos”, desabafou José Carlos, pai da vítima.

“Sinto muita falta da minha filha, estou sofrendo, ela era minha única companheira, quero que o juiz que está à frente desse caso dê uma resposta imediatamente porque o nosso sofrimento não parou e não vai parar”, contou a mãe da vítima.

Deixe uma resposta