Thumb-palaciorbo

Comemoração em retorno do horário acontece neste sábado

Celebração ocorrerá em frente ao Palácio Rio Branco, às 20h

Acontece neste sábado (9), em frente ao Palácio do Governo, a festa em comemoração a volta do antigo horário do Acre. Estão esperadas mais de 2 mil pessoas no evento titulado de “a Festa da Democracia”.

A lei que estabelece o horário do Acre e de parte do Amazonas em duas horas a menos que o de Brasília (DF) foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff e publicada no Diário Oficial no dia 31 de outubro. O antigo horário passa a vigorar a partir do de domingo (10).

A volta do horário é um pedido feito pela população acreana e mostra o resultado da democracia, já que quando passou para uma hora de diferença, feito pelo governador Tião Viana (PT-AC), em 2008, a sociedade acreana não foi ouvida.

“Quem venceu foi a democracia, a vontade do povo prevaleceu. Não vou mentir, estou feliz e vou comemorar. Valeu a nossa luta”, disse o senador Sérgio Petecão que organiza o evento junto a outros parlamentares da oposição.

A Festa da Democracia terá várias bandas locais que tocarão vários ritmos musicais, inclusive, gospel. O momento mais esperado da noite será a queima de fogos, a meia-noite, para comemorar a volta do horário.

Imbróglio
O imbróglio do fuso horário iniciou em 2008, com a aprovação da Lei 11.662, que reduziu o fuso dessa região a apenas uma hora a menos em relação a Brasília. A mudança, proposta pelo então senador Tião Viana, hoje governador do Acre, não agradou os acreanos porque não houve consulta popular.

Na época, a mudança foi sob a justificativa de que a população local sofria prejuízos econômicos, sociais e culturais por causa da diferença em relação ao restante do país.

Com isso, para os estudantes não sofrerem com a mudança, o estado alterou os horários de entrada e saída dos alunos, além das repartições públicas. As aulas começaram meia hora mais tarde.

Referendo
Em 2010, eleitores do estado participaram de um referendo e 39,2% dos eleitores pediram o retorno à hora antiga, enquanto 29,7% eram favoráveis à manutenção do fuso horário em vigor.

Após dois anos engavetado na Câmara e Senado, semana passada o projeto das duas horas de diferença foi aprovado e sancionado semana passada pela presidente Dilma Rousseff.

Deixe uma resposta