thumb alunos

Secretaria de Educação analisa alteração no horário de aula

Volta do fuso antigo pode mudar hora para entrar e sair

Com a volta do fuso horário do Acre, com diferença de duas horas em relação à capital federal, o horário de entrada e saída dos estudantes da rede pública de ensino também pode ser alterado.

Diretores da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE), juntamente como secretário Daniel Zen, articulam a possibilidade que deve ser anunciada ainda esta semana, já que o volta do horário será no próximo domingo (10). A dúvida para a possível mudança ou mesmo a permanência é devido à proximidade do fim do ano letivo.

O imbróglio do fuso horário iniciou em 2008, com a aprovação da Lei 11.662, que reduziu o fuso dessa região a apenas uma hora a menos em relação a Brasília. A mudança, proposta pelo então senador Tião Viana, hoje governador do Acre, não agradou os acreanos porque não houve consulta popular.

Na época, a mudança foi  sob a justificativa de que a população local sofria prejuízos econômicos, sociais e culturais por causa da diferença em relação ao restante do país.

Com isso, para os estudantes não sofrerem com a mudança, o estado alterou os horários de entrada e saída dos alunos, além das repartições públicas. As aulas começaram meia hora mais tarde.

Referendo

Em 2010, eleitores do estado participaram de um referendo e 39,2% dos eleitores pediram o retorno à hora antiga, enquanto 29,7% eram favoráveis à manutenção do fuso horário em vigor.

Após dois anos engavetado na Câmara e Senado, semana passada o projeto das duas horas de diferença foi aprovado e sancionado semana passada pela presidente Dilma Rousseff.

Fuso: Secretaria de Educação analisa alteração no horário de aula

Volta do horário antigo pode mudar tempo de entrada e saída dos estudantes

Com a volta do fuso horário do Acre, com diferença de duas horas em relação à capital federal, o horário de entrada e saída dos estudantes da rede pública de ensino também pode ser alterado.

Diretores da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE), juntamente como secretário Daniel Zen, articulam a possibilidade que deve ser anunciada ainda esta semana, já que o volta do horário será no próximo domingo (10). A dúvida para a possível mudança ou mesmo a permanência é devido à proximidade do fim do ano letivo.

O imbróglio do fuso horário iniciou em 2008, com a aprovação da Lei 11.662, que reduziu o fuso dessa região a apenas uma hora a menos em relação a Brasília. A mudança, proposta pelo então senador Tião Viana, hoje governador do Acre, não agradou os acreanos porque não houve consulta popular.

Na época, a mudança foi  sob a justificativa de que a população local sofria prejuízos econômicos, sociais e culturais por causa da diferença em relação ao restante do país.

Com isso, para os estudantes não sofrerem com a mudança, o estado alterou os horários de entrada e saída dos alunos, além das repartições públicas. As aulas começaram meia hora mais tarde.

Referendo

Em 2010, eleitores do estado participaram de um referendo e 39,2% dos eleitores pediram o retorno à hora antiga, enquanto 29,7% eram favoráveis à manutenção do fuso horário em vigor.

Após dois anos engavetado na Câmara e Senado, semana passada o projeto das duas horas de diferença foi aprovado e sancionado semana passada pela presidente Dilma Rousseff.

Deixe uma resposta