thumb segurança

Governo do Acre fortalece parcerias de fronteira

Segurança entre os dois estados foi a principal pauta

O secretário de Segurança Pública, Ildor Reni Graebner, e representantes do governo autônomo do departamento de Pando se reuniram para discutir segurança na fronteira entre Brasil e Bolívia.

A parceria foi firmada por meio de um convênio interinstitucional de ajuda e cooperação mútua que foi celebrado entre os governos do Acre e de Pando. A intenção desse convênio é estabelecer uma relação recíproca em busca de identificar os principais pontos de violência e criminalidade dentro da legislação vigente em cada país.

O secretário Reni Graebner acredita que já houve grandes avanços, e é necessários ratificar alguns termos do convênio. “Com a troca de comandante no comando departamental de polícia de Pando, temos que fortalecer a parceria e principalmente ratificar e formalizar as cláusulas do convênio, para que nossa atuação seja mais eficaz”, explicou o secretário.

Entre as cláusulas do convênio estão a entrega de infratores e presos na fronteira para seu país, o combate ao crime organizado, a troca de informações sobre o tráfico de pessoas e entorpecentes e a cooperação em investigações.

O assessor do governo de Pando, Pedro Villa, falou sobre o interesse pessoal do prefeito (governador) de Pando na execução do acordo. “O governador Flores pediu que colocássemos em prática todos os pontos estabelecidos em nossa parceria e que entrem em prática até o fim do ano”, disse o assessor.

O comandante da policia de Pando, Enrique Hogalos, disse que está tratando dos processos burocráticos para implementação do convênio. “Convênios internacionais de cooperação requerem mais atenção, e são muitos os envolvidos. Devemos vencer logo essa etapa e, assim, pôr em práticas todos os pontos de cooperação mútua”, esclareceu o comandante.

Também participaram da reunião representantes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Federal (PF), comandante da Polícia Militar (PM), secretário de Polícia Civil e o Exército Brasileiro.

Deixe uma resposta