thumb greve-banco

Greve: empresas devem fornecer formas de pagamento

Procon orienta consumidores e empresas

Com a paralisação de grande parte dos serviços bancários devido à greve, o Programa de Proteção ao Consumidor (Procon/Acre) alerta os consumidores que as empresas são obrigadas a fornecer novas formas de pagamento mas, caso o fornecedor não cumpra, deve partir do consumidor a iniciativa de solicitar outras maneiras de quitar o débito.
O consumidor deve procurar o fornecedor e verificar qual a melhor maneira de continuar os pagamentos, evitando que seu nome vá para os serviços de proteção ao crédito (SPC e Serasa), além de evitar encargos à dívida.
A empresa tem obrigação de oferecer a informação e contribuir com a situação, disponibilizando o pagamento por código de barra, em casas lotéricas ou outros locais, internet e até na própria empresa.
É importante que a solicitação seja documentada pelo consumidor, anotando e guardando o protocolo, cópia do e-mail, entre outros para, caso o pedido não seja atendido, possa reclamar junto ao Procon.
Greve bancários
Os bancários entraram em greve na semana passada. A categoria reivindica 11,93% de reajuste salarial, equivalente à inflação dos últimos 12 meses mais 5% de ganho real, além de valorização do piso salarial, maior participação no lucro dos bancos e mais empregos. Querem também o fim da rotatividade e das terceirizações, melhores condições de saúde e trabalho, mais segurança nas agências e igualdade de oportunidades. A proposta dos bancos é reajuste de 6,1%.
Em nota A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) lamentou o movimento e disse que algumas operações bancárias, como o pagamento de contas, podem ser feitas pelos clientes por meio de opções como os caixas eletrônicos, o internet banking, o aplicativo do banco no celular, os serviços bancários por telefone e também pelos correspondentes bancários, que são casas lotéricas, agências dos Correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos comerciais credenciados.
Greve dos Correios
Os funcionários do Correios estão em greve também desde semana passada. A pauta da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) reivindica aumento de 15% e a reposição de perdas salariais no período 1994 a 2002, calculadas em 20%. Os empregados da ECT querem mais segurança nas agências, manutenção do plano Correios Saúde, implementação de Plano de Cargos Carreiras e Salários. Além disso, pedem a contratação de 10 mil funcionários e redução de jornada de trabalho dos atendentes para 6 horas.

Atendimento Procon:
OCA Central de Serviço Público – Praça Rosa
Endereço: Rua Quintino Bocaiúva, 299 – Centro
Dias e horário de atendimento: De segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas

Deixe uma resposta