08-05-20 leito covid

IBGE divulga distribuição de UTI’s e respiradores em todo o país

Também foram levantados números de médicos e enfermeiros

O IBGE divulgou, nesta quinta-feira (7), a distribuição de leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs), respiradores, médicos e enfermeiros por unidades da federação e regiões do Brasil que são referência no atendimento de saúde de baixa e média complexidade.

As informações, geradas com a colaboração da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), vão contribuir com as ações de enfrentamento à Covid-19 e estão disponíveis para consulta em mapas interativos do hotsite covid19.ibge.gov.br.

O levantamento tem como base o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde 2019 (DataSUS), que reúne as redes pública e privada, e as Informações de Deslocamento para Serviços de Saúde, da pesquisa Regiões de Influência das Cidades 2018, cujos dados foram antecipados pelo IBGE.

Leitos de UTI
O Acre é um dos estados que registraram menores números de leitos a cada 100 mil habitantes, com apenas cinco. Outros estados do Norte também apresentaram índice baixo, como Amapá (5), Amazonas (7), Tocantins e Pará (8 cada), e Roraima com apenas quatro, sendo o menor do país.

Norte e Nordeste possuem menos respiradores
O cruzamento de dados também revela a distribuição de respiradores, equipamentos que realizam ventilação mecânica em pacientes com dificuldades respiratórias graves, nas unidades de saúde do país.

Estados do Norte e Nordeste são os menos equipados: Amapá (10 respiradores), Piauí (13), Maranhão (13), Alagoas (15) e Acre (16).

Distribuição de médicos e enfermeiros
Os estados com menos médicos estavam concentrados no Norte e no Nordeste. O Acre foi registrado como o 4º estado com menor número de médicos, sendo 108 a cada 100 mil habitantes. Maranhão e o Pará registraram os menores indicadores, 81 e 85 médicos, respectivamente.

“O recomendável são 80 médicos generalistas por 100 mil habitantes. Entretanto, esse parâmetro é válido para uma situação de normalidade. Neste momento de pandemia, essa recomendação deve ser relativizada, pois a demanda pelo sistema de saúde é maior”, disse coordenador de Geografia e Meio Ambiente do IBGE, Cláudio Stenner.

Em relação à distribuição de enfermeiros, o Acre está melhor classificado, com 119 profissionais a cada 100 mil habitantes. O pior índice é do Pará, com apenas 76 enfermeiros.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*