2008-cotidiano-marcilenealexandrina

Impressoras do MS reaparecem depois de denúncia

Secretária de Saúde rebate denúncias da Câmara

A secretária de saúde de Rio Branco, Marcelene Alexandrina, mostrou nessa quarta-feira as impressoras enviadas pelo Ministério da Saúde para confecção das carteiras do SUS. Uma denúncia apresentada na Câmara de Vereadores colocava em xeque o uso dos equipamentos que custaram R$ 67 mil.

Em 7 de fevereiro de 2013, o prefeito Marcus Alexandre assinou um convênio com o Ministério da Saúde, onde receberia 70 máquinas de mesa para a impressão de etiquetas e códigos de barra.

A prefeitura deveria distribuir as unidades nos postos de saúde, para que os pacientes pudessem renovar ou tirar a carteira do SUS, que é obrigatória para atendimento nos postos e hospitais públicos.

A denúncia mostra que, depois de um ano e meio, as máquinas ainda não chegaram aos postos de saúde. Pelo contrato assinado, se não forem usadas, as impressoras deverão ser devolvidas ao ministério.

A secretária mostrou que os equipamentos estão guardados numas das salas da secretaria e explicou que não estão em funcionamento porque faltavam os cartões de plástico e as etiquetas, que só foram entregues no início desse mês.

“Além disso, vamos ter que preparar a rede de computadores em todas as unidades. Só assim poderemos usar as impressoras. O que vale ressaltar é que os equipamentos estão aqui, e não sumiram, como foi alegado na Câmara de Vereadores”, avisou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*