24-08-2020 ima-campanha

Instituto de Mulheres da Amazônia lança campanha contra feminicídio

Em carta instituto repudia contratação de Bruno

O Instituto de Mulheres da Amazônia (IMA) divulgou uma carta aberta à sociedade brasileira com uma campanha em repúdio a contratação de Bruno Fernandes como goleiro de um clube de futebol acreano, o mesmo é condenado pelo crime de feminicídio contra Eliza Samudio e cumpre pena em liberdade condicional.

A campanha “BRASIL, campeão em feminicídio: ESSE TÍTULO EU NÃO QUERO!” é educativa e tem previsão para durar até o mês de dezembro. De acordo com Concita Maia, diretora presidenta do IMA, um dos objetivos da campanha é desconstruir a masculinidade tóxica, “como é uma campanha educativa, pretendemos fazer recomendações aos clubes para que sejam realizadas capacitações, debates e oficinas sobre o tema da masculinidade tóxica com seus atletas. Que temas como relação de gênero entre homens e mulheres possam ser debatidos em todos os espaços”, declara.

Concita declara ainda que a contratação de Bruno além de revolta trouxe vergonha para as mulheres acreanas, “ficamos muito envergonhadas perante o Brasil e o mundo, porque se trata de um feminicída que não foi aceito em vários estados, mas foi aceito aqui no Acre, o estado que lidera o ranking nacional de feminicídio, não houve reparação, ele ainda cumpre pena com a justiça, é inaceitável que ocupe uma posição de ídolo que vai influenciar jovens, crianças”, declara a presidenta.

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), houve um aumento de 300% de casos de femincídio durante a pandemia no Acre, estado brasileiro que ocupa o primeiro lugar no ranking de feminicídio no país.

A campanha se inicia na última semana do mês de agosto e segue por todo o semestre com postagens semanais nas redes sociais do IMA com conteúdos voltado a toda a sociedade.

Deixe uma resposta