Banner-prostituicaocapixababolivia

Jovens de Capixaba se prostituem na Bolívia

Garotas atravessam a fronteira para encontrar clientes

O conselho tutelar de Capixaba está denunciando que jovens do município, principalmente meninas menores de idade, estão se prostituindo numa boate que fica na vila boliviana Mapiron, distante apenas dois quilômetros da parte urbana de Capixaba.

O vilarejo foi montado a poucos anos. Foram levantadas várias moradias, a maioria está fechada. Algumas famílias bolivianas montaram comércio, mas são poucos os clientes. Entretanto é apenas uma casa que está preocupando o conselho tutelar de Capixaba.

Na verdade é uma espécie de boate. Nos finais de semana, brasileiros buscam diversão na vila. Segundo os conselheiros tutelares, os adultos levam menores de idade, principalmente meninas para a festa boliviana. Existem denuncias de que essas garotas se prostituem e consomem drogas livremente, já que, a policia boliviana não fiscaliza e nem se importa.

A conselheira Lucilene Silva informou que a policia brasileira está impedida de fiscalizar a boate porque não pode passar a linha de fronteira. “Esse é o principal entrave na busca desses jovens que atravessam a fronteira. Sem a fiscalização não conseguimos flagrar ou ter provas de menores se prostituindo em solo boliviano”, reclamou.

A conselheira Barbara Cabanellas disse que já foi enviado um pedido à Justiça para que contrate agentes de proteção. “Assim conseguiríamos atuar junto às famílias de Capixaba, cujas jovens já foram identificadas como frequentadoras assíduas da festa na vila Mapiron.

Omissão poder público

Para o conselho tutelar a prefeitura de capixaba é omissa. Não tem um só projeto social para retirar essas jovens desse tipo de violência. E mostra que existe um descuido total na fronteira.

Nos flagramos, no marco brasileiro, a bandeira brasileira toda rasgada. A bandeira do sobraram apenas os fiapos. Do outro lado da rua, onde fica a vila Bolívia a bandeira do país é tratada com orgulho. Está hasteada em quase todas as casas, sempre nova e limpa.

Procuramos o prefeito Vareda (PC do B), para saber como vai ajudar a combater a prostituição infantil. No entanto, apenas mandou um recado por uma secretária, informando que não gravava entrevista se não fosse marcada. Ou tem muito serviço em Capixaba ou foi apenas uma mera desculpa para fugir do problema.

Faltam Barreiras

O conselho tutelar quer a instalação de uma barreira fixa na fronteira. Mas, a policia militar não dispõe de viaturas. Tem apenas uma para as rondas na cidade.

Enquanto isso, as drogas vindas da Bolívia invadem Capixaba e a cidade pacata do presente pode se transformar em referência para o tráfico e a prostituição no futuro.

Deixe uma resposta