thumb educaçaoinfantil

Matrículas na rede municipal crescem 12,4% em 2013

Expansão de 54% na modalidade creche determinou subida

O Censo Escolar 2013 aponta crescimento de 12,4% nas matrículas do ensino fundamental na rede municipal de ensino de Rio Branco, com expansão de 54% na modalidade de creche em relação ao ano passado. Em 2013, a rede ofertou 2.426 novas vagas nas modalidades de educação infantil (creche e pré-escola), no ensino fundamental (1º ao 5º ano e 6º ao 9º ano) e na Educação de Jovens e Adultos (anos iniciais e finais), encerrando o ano com 22.000 alunos nas escolas mantidas pela Prefeitura.

Os números foram apresentados nesta segunda-feira, 4, pelo prefeito Marcus Alexandre e o secretário de Educação, Márcio Batista, em café da manhã na sede da Secretaria Municipal de Educação (SEME). Servidores, técnicos e gestores, além dos secretários de Administração, Claudio Ezequiel, e Márcio Oliveira, do Instituto de Previdência de Rio Branco (RBPREV), participaram do encontro. “Crescemos em todas as áreas”, comemorou Márcio Batista.

Vários fatores contribuíram para essa forte expansão, entre eles o permanente diálogo com o plano de governo da gestão Marcus Alexandre e a sistemática parceria com os governos Federal e Estadual e instituições das sociedades organizadas, além do esforço do conjunto de servidores da SEME. O crescimento, disse Márcio Batista, é o maior da história do ensino fundamental em Rio Branco.

Os investimentos nas três modalidades e nas seis etapas somam R$7.199.940,24. Na creche, o investimento médio por aluno foi de R$2.978,64 e na pré-escola, de R$3.262,32/aluno. Os anos iniciais da educação infantil são os que demandam mais investimentos e a gestão de Marcus Alexandre não tem poupado esforços para garantir que nada falte para as crianças –desde a alimentação, que já premiada, até professores qualificados.

A SEME impôs um controle estatístico realizado a cada três meses para definir melhor as estratégias e estabeleceu debate com a Universidade Federal do Acre para inovar nessa política. O modelo anterior, lembrou Márcio, criou “ilhas de excelência e bolsões de excluídos” porquanto estabelecia condições complicadoras à expansão das vagas nas creches. O novo modelo ampliou os convênios com creches particulares e comunitárias. No Taquari, por exemplo, a SEME celebrou convênio com uma creche mantida por uma igreja evangélica para garantir que um número maior de crianças tenha acesso a essa modalidade educacional.

Das dez novas creches em construção, a maioria delas está localizada em conjuntos residenciais inaugurados pelo governo do Estado, como o Andirá, o Aroeira, o Cabreúva, o Jenipapo, o Jequitibá e o Vale do Carandá. As outras creches ficarão no Juarez Távora, Jacamim no São Francisco, no Novo Eldorado e no Rosa Linda. “O único caminho de melhorar a sociedade é pela educação”, disse o prefeito Marcus Alexandre.

Deixe uma resposta