230817-cotidiano-conap-prouni-acre

MEC discute controle social no Programa Universidade Para Todos

Acre: 136 mil estudantes já foram beneficiados pelo Prouni

A Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social do Prouni (CONAP), órgão consultivo ligado ao Ministério da Educação (MEC) promoveu seminário em universidade particular de Rio Branco. O tema debatido no encontro foi o controle social no Programa Universidade Para Todos.

O seminário realizado pela primeira vez no Acre, pela Conap, aconteceu nesta terça-feira (22), no auditório da Fameta. O evento foi aberto para bolsistas e comissões locais de acompanhamento e controle social da região Norte e Centro-oeste.

“O objetivo de seminários como esse e a proposta atual do Prouni é sempre a ampliação do programa, das bolsas e do aprimoramento da política em si, com controle social e a participação pra que possamos sempre aprimorar a implementação da política, no acesso e permanência dos estudantes, bem como ampliar na medida do possível, o acesso a política”, disse o presidente da Conap, Vitor Grampa.

O Programa Universidade para Todos existe há mais de 10 anos e foi criado pelo governo federal com objetivo de auxiliar estudantes com bolsas de estudo integrais e parciais de 50% em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica.

“O esforço do MEC e no sentido do convencimento das instituições, das mantenedoras e também da sensibilização dos estudantes que habilitados pela nota do ENEM, com mais de 450 pontos e que atendam um perfil de renda de até 3 salários mínimos, no caso de bolsa parcial, de até 1 e meio no caso de bolsa integral, busquem essa cota de acesso ao programa. No último processo seletivo houve um recorde de bolsas ofertadas numa mesma educação”, explicou o coordenador geral de programas de educação superior do MEC, Samuel Martins Feliciano.

No Acre, 136 mil estudantes já foram beneficiados, desde o início do programa. Para Edimar Sartoro, diretor pedagógico do Atenas Educacional, grupo mantenedor da Fameta, é preciso apoiar a ampliação do programa, por que os resultados tem se mostrado satisfatórios. “Alunos Prouni, tem bom desempenho acadêmico por que o processo seletivo, acaba, selecionando os melhores por meio do Enem. Nas avaliações externas como o Enade, por exemplo, esses estudantes tem ótimo desempenho, acima da média nacional”, disse.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*