Médicos da rede municipal mantêm paralisação

Eles têm como motivo principal da reivindicação a atualização do  (PCCR), congelados há mais de seis anos

Nesta quarta-feira (8), os médicos da rede municipal de saúde permaneceram em greve, e eles têm como motivo principal da reivindicação, a atualização do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR), congelados há mais de seis anos.

“Nós reivindicamos o plano de carreira, concursos públicos para médicos efetivos. Além de condições melhores de trabalho, o qual  vamos apresentar para prefeitura, também pedimos mais segurança. Vale lembrar, que a única coisa apresentada a prefeitura foi a reformulação do PCCR”, afirmou o presidente do sindicato dos médicos Guilherme Pulici.

A Prefeitura de Rio Branco se reuniu na última segunda-feira (8), com os líderes do movimento na tentativa de resolver  a situação. O município afirma que vai realizar   o impacto na folha de pagamento, pois o prefeito Tião Bocalom recomenda que seja realizado um reajuste salarial de forma linear, o qual não atenderá especificamente a área da saúde, mas todos os servidores de forma igualitária.

“Foi decidido depois da reunião de segunda-feira, a manutenção do movimento já que a gente não recebeu nenhuma contra proposta formal da prefeitura, nós saímos da reunião e imediatamente nos reunimos com a base e de forma unanime decidimos manter o movimento”, salientou Guilherme

Segundo o presidente do sindicato, a previsão é que a greve seja mantida até o dia 7 de dezembro, caso não haja uma proposta formal da prefeitura.

“De acordo com a assembleia geral realizada no dia 7 de outubro o prazo seria até o dia 7 de dezembro, ou seja, 30 dias de paralisação, mas estamos de portas abertas para negociações e aguardando uma proposta formal da prefeitura já que muitos colegas estão insatisfeitos a ponto de jogar a toalha e pedir demissão”, concluiu o presidente.

Com informações de Maria Eduarda Sturmer

Deixe uma resposta