240117-cotidiano-rotatoria-tvgazeta2

Moradores bloqueiam BR-364 em protesto para pedir rotatória

Dnit promete licitar obra até meio do ano

Na manhã desta terça-feira (24), moradores do loteamento Maria Iris (que fica às margens da Via Verde) fecharam a BR-364 em protesto, reivindicando uma rotatória mais próxima ao bairro.

A reivindicação já dura 6 anos e, para “comemorar”, os moradores levaram um bolo para o meio da rua, e até cantaram um irônico “Parabéns a você!”.

Eles reclamam que a distância entre loteamento e a rotatória mais próxima é de aproximados 2 quilômetros. Com a ida e vinda, a ausência da rotatória provoca um percurso de quatro quilômetros, trajeto esse que eles precisam percorrer todos os dias para chegar ao Centro em segurança.

Em muitos casos, os motoristas, para evitar percorrer essa distância, colocam suas vidas em risco e fazem a conversão em local proibido.

Jairo, representante dos moradores, disse que eles não aguentam mais esperar que a reivindicação seja atendida. “Existe um projeto aqui, só que é a execução que a gente está precisando, porque papel e reunião não resolvem. Então, a gente, infelizmente, partiu para radicalização. É a forma que o cidadão tem para pressionar a quem tem a obrigação de atender um pleito desse”.

O superintendente do Dnit, Thiago Caetano, esteve no local para conversar com os
moradores e explicou. “Essa rotatória é demanda antiga do pessoal. Nós recebemos essa demanda ano passado. Realmente, o projeto está pronto. Só que esse projeto nós não podemos licitá-lo de forma isolada. Temos que integrá-lo dentro do nosso planejamento”.

O problema dos moradores faz parte, segundo o Dnit de uma ação mais abrangente. “A construção da rotatória esta incluída dentro do projeto nosso, que é um projeto de restauração da BR-364 entre Rio Branco e Sena Madureira. Nossa previsão é de licitar até o meio do ano. Até lá temos uma alternativa que é instalar uma lombada antes da entrada do bairro e instalar um semáforo para controlar a entrada e saída de veículos sem causar acidentes”, ponderou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*