230817-cotidiano-sem-agua-obras

Moradores do loteamento do Amapá reclamam de falta d’água

Depasa diz que já iniciou obras para resolver problema

O loteamento Amapá sofre com abastecimento de água potável. Mais de 600 famílias residem no local e a maioria cavou poços pra não passar por sufoco. Mesmo assim, a seca castiga. Mas uma obra de ampliação da rede de distribuição de água do Depasa deve por fim a esse problema.

No ano passado, nessa mesma época o marido de Dona Helena estava cavando um poço. Cansados de esperar por abastecimento público, eles resolveram por conta própria acabar com o sofrimento da escassez de água. Assim é a realidade dos moradores do Loteamento Praia do Amapá, região do 2º Distrito de Rio Branco.

Hoje Maria Helena raciona a água. Com muito cuidado ela administra o líquido precioso zelando da casa, das plantas e dos animais. “Não pode gastar muito. Roupa, por exemplo, só lavo uma vez por semana”, afirma.

O poço produz no máximo 500 litros de água por dia. Não atende a contento, mas é o que a natureza na região tem pra oferecer nessa época. Quem também sabe o sufoco que é ficar sem água, é o comerciante Amarui Sandro. Ele mora a pouco tempo no loteamento e sabe bem o que é a falta de água. “Na verdade, a gente vê as mães de família, os meninos, pessoas que estão indo até pra beira do rio tomar banho por falta de água”, relata.

O problema, segundo o Depasa, tem dia e hora pra ser resolvido. É que o departamento está ampliando a rede de distribuição de água no loteamento. “Esta obra queremos entregar até o final da próxima semana. Queremos fazer os primeiros testes, é claro, com a grande pressão teremos pontos de vazamento. Vamos ter nossas equipes acompanhando toda fase de teste e abastecimento”, explicou o presidente do Depasa, Edvaldo Magalhães.

Cerca de 600 famílias serão beneficiadas com a obra que visa substituir uma rede de baixa pressão. “Com essa mudança nós estamos interligando em mais de 1 quilômetro e meio uma nova adutora de 200 milímetros, que vai ser abastecida por nossa adutora de 400, que sai rumo ao reservatório Santo Afonso. Vamos ter pressão suficiente pra abastecer toda praia do Amapá e o entorno, melhorando e muito inclusive o abastecimento no Taquari”, destacou Magalhães.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*