Motorista denuncia que não recebeu pagamento desta sexta-feira

Equivalente R$ 2,4 milhões foram destinados às empresas para o pagamentos de todos os salários atrasados

Um motorista de ônibus de Rio Branco, que não quis revelar a identidade por medo de represálias, denunciou ao site Agazeta.net que o repasse sancionado pelo prefeito Tião Bocalom de R$ 2,4 milhões às empresas de transportes públicos, o qual era destinado para pagar todas as verbas salariais atrasadas, não foi cumprido nesta sexta-feira (29), pois alguns motoristas ficaram sem receber.

Segundo o motorista, ele trabalha na linha São Judas Tadeu e Via Verde há mais de dez anos, e esta sem receber o salário de janeiro de 2021, férias do mês de julho, décimo terceiro de 2020.

Além disso, o colaborador afirmou que recebia um ticket de alimentação no valor de R$ 180,00, mas devido a pandemia, a empresa diminuiu esse valor para R$ 80,00. Contudo, desde de quando iniciou a pandemia esse ticket não foi pago.

No início da pandemia, momento em que o Governo Federal fez um acordo com as empresas privadas para custear 70% do valor dos salários dos funcionários, eles teriam enquanto isso sua carga horária reduzida, porém a maioria acabou trabalhando o período normal, e também não receberam por isso.

“Nós temos um grupo dos funcionários no Whatsapp, e quando eu falei que não tinha recebido, em média 15 pessoas também confirmaram que não tinha recebido esse repasse, acredito que tenham mais funcionários, porém preferem não se manifestar”, afirmou o motorista de ônibus.

Quando perguntado sobre o posicionamento das empresas sobre o ocorrido, o colaborador afirmou que ninguém entrou em contato explicando ou justificando o motivo sobre alguns não terem recebido o repasse, pois o combinado era que todos recebessem os pagamentos atrasados, e ainda ressaltou que não sabe quando vai ser o próximo repasse, visto que ao total são três, e esse ainda foi o primeiro.

A advogada do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes de Passageiros e Cargas do Estado do Acre (Sinttpac), Gracileidy Bacelar, informou ao site Agazeta.net que os repasses aos trabalhadores não vão ser realizados todos ao mesmo tempo. Serão três remessas que devem ocorrer para regularizar os salários. Quem não recebeu neste momento, deve receber na segunda ou terceira remessa.

Ainda existe a possibilidade de algumas pessoas receberem neste sábado (30), porque a empresa Autoaviação Floresta está com as contas bloqueadas e por isso precisou realizar os pagamentos através de pix, o que atrasou a atividade.

Na próxima quarta-feira (3), a comissão que acompanha esse repasse aos trabalhadores deve se reunir para confirmar se todas as pessoas que deveriam ser contempladas nesse momento de fato foram, para então darem continuidade com o pagamento da segunda remessa.

Bacelar informou ainda que as empresas São Judas Tadeu e Via Verde fizeram 100% dos repasses destinados aos trabalhadores nessa primeira remessa, e cumpriu com o acordo.

Deixe uma resposta