200118-cotidiano-premioatitude-ascommpac

MP Atitude reconhece iniciativas transformadoras

“Pequenas ações transformam o mundo”

O Ministério Público do Acre premiou boas iniciativas da sociedade civil e organizações governamentais. Foi a primeira edição do “Prêmio MP Atitude”, com o tema: “Pequenas ações transformam o mundo”.

Moradora de um bairro carente de Rio Branco, a dona de casa, Raimunda de Assis abriu os olhos para os mais necessitados e iniciou um trabalho voluntário. Ela passou a distribuir sopa para crianças e outras pessoas da comunidade.

“A gente começou a ganhar umas verduras daí eu falei eu vou fazer. A moça que a gente convidou disse: mas não está tempo de campanha? As pessoas pensam que a gente faz tudo em tempo de política. Digo: não! Nosso trabalho é individual já há treze anos. A gente dá sopa toda quarta-feira e toda terça a gente entrega na faixa de 95 cestas de verduras e nisso a gente vai. Me sinto feliz. Toda quarta-feira me sinto feliz, realizada por que mais uma criança vai dormir de barriguinha cheia”, comentou.

Dona Raimunda inspirou o Ministério Público do Acre a criar uma premiação para quem faz a diferença na sociedade, com iniciativas. O Prêmio MP Atitude, que tem o tema: pequenas ações transformam o mundo foi entregue na última sexta-feira. Ao todo, foram 32 inscritos e 8 premiados. Entre eles, estava o psicólogo Fabiano Guimarães de Carvalho.

Ele trabalhou durante 10 anos no Hosmac e viu que o tratamento psiquiátrico poderia sair dos limites do hospital. O projeto Arte de ser passou a oferecer várias atividades em local aberto e há 9 anos trata tanto pessoas com transtornos psicológico, quanto quem é são e quer se expressar através da arte livremente.

“Não só as pessoas que fazem tratamento quanto as que não fazem, a gente percebe um mergulho em si mesmo. Todo auto conhecimento ajuda. Tem pessoas que não fazem tratamento mas estão em processos de adoecimento muito grande. Encontramos pessoas que tem esquizofrenia e são muito saudáveis e pessoas que vem acompanhar o paciente e que não tem nenhum diagnóstico, mas que estão bem adoecidas e no Arte de ser, vai tendo um alívio”, explicou.

Entre as categorias premiadas pelo MP destacam-se: Educação, infância e juventude, saúde e direitos humanos.

“Um programa institucional do Ministério Público que visa reconhecer as boas práticas daquelas pessoas, a maioria das vezes anônimas que realizam muito em prol daqueles mais necessitados”, comentou o procurador geral Oswaldo D’Albuquerque.
Todos os projetos inscritos receberam certificados de participação e os vencedores, troféus.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*