290917-cotidiano-diadocoracao-tvgazeta

Mudança de hábito necessita de uma decisão

Primeiro é necessário “trabalhar o psicológico”

Mudanças no estilo de vida e controle do colesterol e hipertensão, por exemplo, são as melhores formas de garantir um coração saudável. Na segunda reportagem sobre o Dia Mundial do Coração, vamos entender por que a atividade física precisa ser levada a sério.

O exercício físico virou rotina na vida do aposentado Carlos Santos desde o início do ano. Uma consulta médica, que indicou princípio de diabetes foi o start que ele precisava para adotar a atividade física como missão diária. Na calculadora do peso, ele deu adeus a 6 quilos, mas ganhou muito em qualidade de vida. “Auto estima, saúde para dormir, me sinto muito bem, durmo melhor e com mais facilidade”, afirma.

Fazer exercícios físicos regulamente, e adotar outros hábitos de vida saudáveis, ajudam o ser humano a prevenir uma série de doenças, inclusive as do coração, com, por exemplo, o infarto agudo do miocárdio, popularmente conhecido como ataque cardíaco.

“O paciente que infarta e que sobrevive ao infarto, que é uma doença muito grave, que sobrevive no primeiro dia, nas primeiras horas, vai desenvolver insuficiência cardíaca que é quando o coração fica fraco, grande e vai atrapalhar muito a qualidade de vida dessa pessoa”, alerta a cardiologista Rejane Holanda.
As doenças cardiovasculares são responsáveis pela morte 17,5 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

Fatores como a hereditariedade podem ser a causa do desencadeamento deste problema. Além deste, sedentarismo, tabagismo, má alimentação e o elevado índice de gordura abdominal também influenciam no desenvolvimento de doenças do coração.

Na data que se comemora o dia mundial do coração, em 29 de setembro, a orientação dos profissionais é: mude o estilo de vida. Recente pesquisa do Ministério da saúde mostrou que 23,8% da população de Rio Branco está obesa.
“Então significa que a população daqui não tem um estilo de vida saudável. Não tem alimentação adequada, não procura fazer exercício, mas antes de procurar exercício, entrar numa academia a pessoa precisa fazer um check-up pra saber se tem condições adequadas de fazer”, orienta a médica.

De acordo com o recente estudo realizado pelo King’s College London, uma universidade pública de Londres, homens e mulheres, com 40 anos ou mais, que adotam uma alimentação mais saudável reduzem o risco de um ataque cardíaco ou de um AVC (Acidente Vascular Cerebral) em até um terço.

Carlos é uma prova de que mudar hábitos sempre resulta em benefícios ao corpo e ao coração. “Depois que comecei a fazer atividades físicas regularmente segundo o médico os exames estão tudo ok”, completa Carlos Santos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*