130317-cotidiano-enemmudancas-tvgazeta

Mudanças no Enem são bem recebidas pelos alunos

No geral, estudantes aprovaram medidas do MEC

Essa turma de um cursinho preparatório para o curso de medicina já sabe em detalhes que este ano, o Enem sofrerá mudanças. Algumas dividem opiniões, outras, são aprovadas pela maioria da turma. Desde 2009 que o exame elaborado pelo Ministério da Educação vem substituindo o vestibular. Por esse motivo, é tão importante no princípio da vida acadêmica dos estudantes.

Uma das principais mudanças do Enem deste ano é a realização das provas em dois domingos seguidos. Para a maioria dos estudantes, uma medida acertada pelo Ministério da Educação.

“Agora a prova de humanas vai ser em um dia e a de exatas em outra e isso é bom por que a gente se prepara psicologicamente pra prova de humanas e esse intervalo de tempo vai ser bom pra colocar a cabeça no lugar, pra descansar, por que dois dias seguidos ficava muito pesado, a gente no outro dia de prova a cabeça tava a mil e o rendimento era ruim”.

Em 2017 as provas serão em 5 e 12 de novembro.

Para o estudante Pedro Willian, a mudança é boa para todos, especialmente aos sabatistas do Acre, que pela diferença de horário com Brasília sofriam ainda mais pela espera.

“Para os sabatistas foi bom, por que eles tinham um tempo meio complicado e aqui no Acre o horário era ruim pra eles”.

Os sabatistas são pessoas que por convicção religiosa só trabalham ou estudam após o pôr do sol. Com a diferença de horário, os estudantes sabatistas tinham que esperar aguardar 9 horas para iniciar a prova no primeiro dia do exame.
Segundo o MEC, no ano passado, os 76 mil candidatos sabatistas que fizeram a prova geraram um gasto de cerca de R$ 646 mil.

Por outro lado, o jovem José Erick, acredita que o intervalo de uma semana entre as provas pode trazer mais preocupação quanto as fraldes. “Pode melhorar em alguns casos, mas pode haver nesse intervalo de tempo fraudes”.

Mas, para o professor Gilberto Hadad, que há 43 anos prepara estudantes para ingressar em universidades, a principal mudança no Enem foi em relação a desvinculação das provas de linguagem e matemática.

“É impossível um aluno em cinco horas em meia, resolver uma prova de linguagens, onde cada questão tem dois textos pra ele ler com 45 questões, uma prova de matemática com questões longas pra o aluno raciocinar e ainda por cima fazer uma redação”, afirmou.

O estudante Diogo Ávalos também concorda que essa foi uma medida acertada pelo Ministério da educação.

“Pelo fato de ser dividido em áreas, principalmente as de maior demora de resolução, como matemática e português, quando você separa as duas, pode focalizar mais nas que você tem deficiência e lá na chegada, só revisar aquilo que ele já é bom”.

No primeiro domingo (5), serão aplicadas as provas de Linguagens, Ciências Humanas e Redação, com 5h30 de duração; no segundo domingo, dia 12, serão aplicadas as provas de Matemática e Ciências da Natureza, com 4h30 de duração.

A partir deste agora, o resultado do Enem por escola, que informava as médias das notas dos estudantes separados pela escola em que estudam, não será mais divulgado. Segundo o MEC, por que o Enem não foi criado para avaliar escolas, e sim os estudantes do Ensino Médio.

Entre outras mudanças está a de que o exame não servirá mais para certificar o ensino médio, função que voltará a ser do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). E ainda por medidas de segurança, os cadernos de prova passarão a ser personalizados, com nome e número de inscrição escritos na capa, juntamente com os cartões de resposta encartados na prova, mas manterão o formato em quatro cadernos de cores diferentes.

As inscrições para o Enem 2017 estarão abertas entre 8 e 19 de maio, e o edital será publicado em 10 de abril.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*