040217-cotidiano-tfd-gislainevidal

Mulher tenta tratamento fora do Acre desde 2015

Além de problemas ortopédicos, lúpus

Mulher aguarda há mais de um ano, cirurgia no quadril, pelo Programa de Tratamento Fora do Domicílio (TFD). Além do problema ortopédico, ela tem lúpus, que afetou o coração. A paciente teme que a situação piore e apela à rede pública de saúde pelo atendimento.

A produtora rural Rosimar Almeida Pereira, 42, está na cadeira de rodas há 3 anos. Antes disso, começou a sentir dores nos ossos e periodicamente vinha de Cruzeiro do Sul a Rio Branco para se tratar. Como as viagens ficaram constantes, a família decidiu mudar-se para a Capital, mesmo com muita dificuldade financeira.

Segundo laudo médico, os ossos do quadril de Rosimar foram desgastados e, para voltar a andar, ela precisa de duas próteses. “Eu preciso dessa cirurgia, se não, não estaria pedindo. Com tanta demora, fizemos orçamento em um hospital privado e fica cerca de R$ 60 mil em cada perna. Não temos condição”, explicou a paciente.

A trabalhadora rural deu entrada no TFD em 20 de novembro de 2015 e até agora não conseguiu viajar para o Rio de Janeiro, local onde deveria passar pelo procedimento cirúrgico.

Outra preocupação é que Rosimar descobriu que tem lúpus, uma doença autoimune que pode afetar a pele, os rins, o cérebro e outros órgãos. “Por causa do lúpus, estou com coração crescido e me preocupo com outras complicações”, explica.

De acordo com o marido da paciente, da última vez que esteve na Sesacre, foi informado que Rosimar precisaria passar por um profissional que emitisse um laudo explicando a gravidade do caso.

Enquanto isso, a mulher que aguarda desde novembro de 2015, vê os dias passar sem uma resposta favorável à saúde dela. O medo de não voltar a andar, devido outras complicações.

Sesacre responde

“Verificamos o processo da paciente Rosimar Almeida Pereira. Consta que ela entrou no sistema em janeiro de 2016 e não há 3 anos. A solicitação é de tratamento ortopédico, já aprovado mas aguardando agendamento do INTO do Rio de Janeiro. Assim que a unidade liberar a vaga, a paciente será encaminhada para a realização da cirurgia de artroplastia total do quadril”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*