thumb AdvOAB

Presos não estão recebendo visitas íntimas e nem advogados

Pelo menos 36 denúncias já chegaram à OAB/AC

Somente nas últimas duas semanas, a OAB/Acre recebeu 36 denúncias. Uma delas partiu do advogado Sérgio Farias, que é membro da comissão de prerrogativas da entidade. “Está sendo negado ao preso visita íntima, a alimentação é precária e, em especial, o direito de ser entrevistado pelo advogado”, ressaltou.

Segundo o advogado, os agentes penitenciários têm direito a greve, desde que o serviço não seja prejudicado. Ele afirma que a demora para conduzir os presos chega a quatro horas. O que caracterizada crime de abuso de autoridade.

A Ordem dos Advogados, por meio de ação civil pública, vai responsabilizar o secretário de Segurança, Reni Graebner. Ainda de acordo com o advogado, é preciso solucionar o impasse com urgência. Ele teme por uma possível rebelião no presídio.

“A OAB jamais vai se calar. Estamos tomando todas as providências necessárias com relação a este direito que está sendo cessado com esses presos. Vamos responsabilizar sim, agentes diretos e indiretos que estão comendo esses delitos”, argumentou Farias.

Procurado por Agazeta.net, o presidente do sindicato dos agentes penitenciários, Adriano Marques, não foi localizado para comentar as denúncias.

Denúncias no presídio

Na Capital, presos não estão recebendo visitas íntimas e nem de advogados

Somente nas últimas duas semanas, a OAB/Acre recebeu 36 denúncias. Uma delas partiu do advogado Sérgio Farias, que é membro da comissão de prerrogativas da entidade. “Está sendo negado ao preso visita íntima, a alimentação precária e, em especial, o direito de ser entrevistado pelo advogado”, ressaltou.

Segundo o advogado, os agentes penitenciários têm direito a greve, desde que o serviço não seja prejudicado. Ele afirma que a demora para conduzir os presos chega a quatro horas. O que caracterizada crime de abuso de autoridade.

A Ordem dos Advogados, por meio de ação civil pública, vai responsabilizar o secretário de Segurança, Reni Graebner. Ainda de acordo com o advogado, é preciso solucionar o impasse com urgência. Ele teme por uma possível rebelião no presídio.

“A OAB jamais vai se calar. Estamos tomando todas as providências necessárias com relação a este direito que está sendo cessado com esses presos. Vamos responsabilizar sim, agentes diretos e indiretos que estão comendo esses delitos”, argumentou Farias.

Procurado por Agazeta.net, o presidente do sindicato dos agentes penitenciários, Adriano Marques, não foi localizado para comentar as denúncias.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*