thumb reuniaooab

OAB recebe representantes das empresas Gol e Tam

Pacientes do TFD enfrentam dificuldade nos voos

Atendendo ao convite da OAB, representantes da empresa Tam Linhas Aéreas se reuniram na manhã desta quarta feira, 17, com o presidente da OAB seccional Acre Marcos Vinícius Jardim Rodrigues, o membro da Comissão de direitos do consumidor, Andrias Sarkis, Procurador da República Pedro Henrique Kenne, representante do Ministério Público Federal, Edinar Monteiro, gerente geral de tratamento fora do domicílio, para tratar sobre as dificuldades de remoção de pacientes do TFD (Tratamento Fora do Domicílio) em seus voos. Segundo Edinar Monteiro a dificuldade de se agendar uma consulta fora do estado é muito grande e geralmente quando se consegue é em cima da hora, sendo o estado obrigado a pagar tarifa cheia muitas vezes, mesmo assim existe uma carência e uma demora muito grande por parte das empresas quando se trata da remoção de pacientes emergenciais, ou seja, que necessitam de oxigênio e maca. “ Hoje nós encontramos muita dificuldade de embarcar o paciente de maca ou precisando de oxigênio, as empresas sempre negam esse transporte e o que elas alegam é que não tem esse equipamento disponível, então o paciente chega até a perder a consulta no local onde ele vai ser internado, seja em Goiânia, São Paulo ou Rio de Janeiro.” Explica Edinar.
Simone Weber, advogada representante da TAM, ressalta que a empresa tem uma política que exige o prazo mínimo pedido da passagem de 72 horas, muitas vezes não sendo possível o embarque imediato como já foi solicitado pelo ministério público, já que a TAM opera como transporte regular e não transporte aero médico.“ Esse é um procedimento que visa garantir a transferência com segurança desse passageiro e também dos demais e em alguns casos se o passageiro não tiver com uma condição estável ele não pode ser transportado, para isso temos uma equipe médica especializada para dar esse diagnóstico.”
Edinar Monteiro mostrou que todo cuidado é tomado pelos médicos do TFD antes de se fazer o pedido do transporte. “É feita toda uma análise junto ao familiar e junto ao hospital que ele está internado sobre a situação de saúde do paciente, se ele está internado ou se está em casa, antes mesmo de ser encaminhada a documentação de pedido de internação, temos médicos bastante responsáveis, então depois de feita a análise, se os médicos constatarem que não há condições para o embarque, não é feito o pedido.”
O presidente Marcos Vinícius lembrou para a representante da TAM que existe uma questão diferenciada de logística e a posição geográfica do Acre é diferente dos demais estados do sul e sudeste quando se fala de remoção. “ Aqui nós temos dois voos diários , se um paciente sai daqui no voo da tarde, ele provavelmente só chegará em Goiânia por exemplo no dia seguinte. Muitas vezes, se não houver uma antecedência na resposta da empresa, o paciente vai chegar ao destino depois da consulta, como já aconteceu antes”.
Marcos vinícius destacou que nesse momento está existindo sim um represamento de pacientes que não estão conseguindo embarcar no tempo adequado para o hospital de destino. “ Viemos aqui alinhar algumas questões, tratar das problemáticas, analisar a situação da empresa e ver o que eles argumentam pra chegar em um consenso pra evitar e solucionar esse tipo de problema que o estado vive hoje”.
O procurador da República Pedro Henrique Kennefoi claro em afirmar que o MPF está atento a essa situação e diversas medidas serão adotadas. “ A primeira medida foi com essa conversa para que possamos chegar a um acordo sem ter que recorrer a justiçae me parece que as companhias estão acessíveis, tanto que vieram ao estado do Acre em busca de soluções.” Afirmou Kenne.
Pelo que ficou deliberado na reunião com a empresa TAM , o TFD irá apresentar um relatório circunstanciado dos pedidos citando o que tá acontecendo, se negado, porque que foi negado, feito isso a OAB irá encaminhar para a empresa aérea para que possa ser solucionado em tempo hábil e os pacientes possam embarcar com tranquilidade sem a preocupação de perder a sua consulta.
Com a empresa GOL Linhas Aéreas, a conversa foi mais rápida, já que, o gerente regional Raudinei Queiroz, e o Advogado da empresa Jan Bessa, após ouvirem os representantes do TFD, da OAB e do MPF se comprometeram em levar as reivindicações para a diretoria da empresa para que dentro de um prazo de 30 dias seja apresentada uma solução para o acesso mais facilitado entre os médicos do TFD e a junta médica da GOL.

Deixe uma resposta