Pronto Socorro tem superlotação e obras acontecendo ao lado de pacientes

Adailton Cruz pede que governador instale gabinete no hospital para ver a situação de perto

Informações do repórter Jardel Angelim

Pacientes e familiares denunciam nesta quinta-feira (23), para a TV Gazeta e site Agazeta.net, com vídeos e imagens, a situação de superlotação no Pronto Socorro de Rio Branco, além de obras acontecendo paralelamente ao lado de macas com pacientes nos corredores.

Atualmente o Pronto Socorro de Rio Branco passa por obras e reformas em sua estrutura, e os pacientes reclamam do barulho, da poeira causada pelas obras e do cheiro de tinta fresca.

Adailton Cruz, presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Acre (Sintesac), foi até o local. “Essa é a realidade, infelizmente o setor de observação adulto do Pronto Socorro, que atende os casos clínicos, não tem como dar vasão aos pacientes que chegam. Um espaço que é para ter 20 pacientes têm 70, não há como ter atendimento com qualidade”..

O Sintesac está elaborando um relatório da situação para enviar ao Ministério Público do Acre e a Casa Civil a respeito da situação. “Eu peço ao governador que instale seu gabinete durante um mês no Pronto Socorro e veja de perto o sofrimento dos trabalhadores e da população, porque assim talvez o senhor se sensibilize e faça algo de fato para resolver o problema”, disse Cruz.

Segundo o presidente do sindicato, um dos principais problemas, além das obras que prejudicam os pacientes, é a falta de espaço de vasão de pacientes, por não haver cirurgias na Fundação Hospitalar do Acre (Fundhacre) nem realização com agilidade de exames complexos.

Diante da situação a Direção do Pronto Socorro de Rio Branco emitiu uma nota de esclarecimento sobre a situação, confira na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A direção do Pronto-Socorro (PS) de Rio Branco vem a público manifestar-se acerca de denúncias sobre pacientes internados que estariam sendo submetidos ao contato com poeira e tinta, devido a uma obra de reforma.

A instituição esclarece que o complexo de prédios que compõem o PS existe há mais de 60 anos, necessitando, portanto, passar regularmente por intervenções de reforma, manutenção e ampliação, de forma a manter a capacidade de atendimento.

De modo a atender apropriadamente a demanda recebida, foram constituídas diversas frentes de trabalho, incluindo verticalização da unidade hospitalar, com quatro alas de enfermaria, reforma do piso elevado da UTI, lavanderia, pintura e substituição do forro de enfermarias.

O PS informa, ainda, que os processos de trabalho são organizados de modo a isolar as áreas em intervenção dos locais em que são mantidos os pacientes, de modo que a denúncia não procede.

A direção reafirma seu compromisso com a saúde e bem-estar da população acreana, colocando-se à disposição para quaisquer esclarecimentos.

Rio Branco, 23 de setembro de 2021.

Carolina Pinho

Direção do PS.

Deixe uma resposta