thumb hosmac2

Pacientes do Hosmac cobram atendimento adequado

Em documento, mais de 800 pessoas confirmam denúncias

Pacientes do Hosmac entregaram nesta quarta-feira (16) abaixo assinado ao Conselho Estadual de Saúde. No documento mais de 800 pessoas confirmam denúncias de falta de médicos, medicamentos entre outras reclamações relativas à estrutura do hospital.

Uma das organizadoras do movimento, que coletou 808 assinaturas, Bruna Freitas, explica que clínicos gerais estão fazendo o atendimento, quando deveriam ser especialistas na área. “A gente tem o nosso direito sim de ser atendido por profissionais psiquiatras”, disse.

O presidente do Conselho, Elenilsom Souza, explicou que já fez uma visita ao Hosmac e constatou que a unidade não tem mais condições de atender os pacientes. A estrutura do prédio é antiga e nunca houve investimentos no hospital, o único da região que atende os pacientes com problemas mentais.

Para ele, o Hosmac deveria estar fechado, mas como a prefeitura e governo do Estado não tem como atender nem internar os pacientes eles vivem sofrendo para conseguir chegar aos ambulatórios e remédios.

O abaixo assinado dos pacientes será levado para a secretaria de saúde e se nada for resolvido o conselho promete acionar o Ministério Público. “Os pacientes vão para unidades de saúde do município e são encaminhados para o Hosmac. Lá são atendidos também por clínico geral. O atendimento é inadequado. Estamos elaborando um relatório e temos reunião marcada com a secretária de saúde Suely Melo”, comenta Souza.

A Secretaria de Saúde ainda não recebeu o documento, mas segundo o diretor executivo da pasta, Irailton Lima, os representantes do movimento e entidades ligadas à causa serão convidados a um encontro para discutir a problemática.

Segundo Lima, o Hosmac não se enquadra na política nacional de saúde mental e o Estado não recebe recursos para manter a unidade. Mas, de acordo com ele, existe um esforço do governo em se adequar às normativas, inclusive buscando novos espaços de atendimento aos pacientes. “A médio prazo a perspectiva é de a gente ir descentralizando os serviços que acontecem lá, para que sejam feitos na rede básica, por meio dos CAP’S (Centros de Atenção Psicossocial). O Hosmac deve ser reposicionado, assumindo uma outra atuação dentro da rede de atenção psicossocial”, disse.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*