Produção extrativista sofre queda de 21,3% no Acre

Dados correspondem ao ano de 2020 e nove setores fazem parte do levantamento

Texto de Márcio Souza. 

Foto: TV Gazeta.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou os resultados referentes à produção da extração vegetal 2021 no país. Os dados correspondem ao ano de 2020 e apresentaram crescimento de 6,3% frente a 2019, ou 4,7 bilhões de reais para a economia do Brasil.

Entre os nove setores que fazem parte do levantamento, o madeireiro teve a maior participação, com 60,3%, assim como também na produção não-madeireira, como o açaí, por exemplo, que contribuiu com um aumento de 18,6%.

 “Comparando a nível nacional a castanha também teve uma queda contudo foi compensado por outros produtos, como o avanço do valor de produção do açaí que a nível nacional tem o valor de produção maior que a castanha e da própria erva mate” informou a supervisora de pesquisas agropecuárias do IBGE, Gardênia Sales.

No Acre, o levantamento do IBGE apontou recuo de 21,3% no valor da produção da extração vegetal, em 2020 se comparado a 2019, dos nove grupos pesquisados, apenas o da borracha e o madeireiro apresentaram os números positivo.

Os produtos madeireiros alcançaram 27,7 milhões de reais diante de 26,1 milhões em 2019, a borracha quase quatro milhões no ano passado e um milhão e meio há dois anos. Na outra ponta, o carvão vegetal, que demostrou uma pequena redução no período, mas quem contribuiu bastante para retração foi o setor de alimentos, que saiu de quase 43 milhões de reais em 2019, para 23,5 milhões no ano passado.

Na análise do IBGE, a castanha aparece como vilã, diminuição de 51% em relação a 2019, em reais 17,6 milhões a menos na arrecadação, o açaí também azedou, queda de 11% de 2019 para 2020.

“Em 2019 esse produto representou 50% do valor de produção de toda a extração vegetal aqui no Acre, mas no ano de 2020 os preços desde produto caíram sensivelmente, caíram em torno de 48% ficando num patamar um pouco superior a R$ 2,60 o quilo da castanha em casca paga ao produtor. Claro que isso se reverteu numa queda também de promoção, numa queda relativamente menor de produção, totalizando a produção em 2020 de aproximadamente 6.700 toneladas, e que gerou enfim esse impacto no resultado geral da PEVS aqui no estado do Acre”, contou Gardênia Sales.

A PEVs é a principal fonte de estatísticas sobre o acompanhamento da exploração dos recursos florestais no Brasil, é a partir do levantamento, que os governos podem traçar políticas publicas para o desenvolvimento do extrativismo.

Deixe uma resposta