thumb ambienta

Polícia Ambiental do Acre ganha novos equipamentos

Fardamento e equipamentos eletrônicos foram os materiais

A Companhia de Policiamento Ambiental do Acre apresentou nesta segunda-feira, 7, a prestação de contas da compra de novos equipamentos de trabalho. O valor de R$ 104.417,75 referente a uma multa pecuniária aplicada a antiga empresa Eletronorte pelo descumprimento da legislação ambiental foi destinado ao batalhão por ordem dos Ministérios Público Federal e Estadual para que o órgão aplicasse na logística operacional.
Fardamento completo do Batalhão Ambiental, equipamentos eletrônicos como: GPS, câmeras fotográficas, filmadoras e notebooks. Material de consumo, material permanente como: motor de popa, capota para cobertura de barcos, coletes salva-vidas, entre outros, foram adquiridos. A companhia recebeu ainda uma caminhonete doada pelo Corpo de Bombeiros do Acre.
Na solenidade de prestação de contas estiveram presentes além do comandante-geral da Polícia Militar, José dos Reis Anastácio, o comandante do Batalhão de Polícia Ambiental, major Carlos Augusto Negreiros, o diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), Fernando Lima, a promotora de Justiça do Ministério Público Estadual, Meri Cristina Amaral e o procurador da República do Ministério Público Federal, Vitor Hugo.
Meri Cristina, promotora de Meio Ambiente do MPE destacou a importância da parceria entre as instituições para garantir uma atuação firme no combate aos crimes ambientais.
“A promotoria trabalha desde 1998 ao lado do policiamento ambiental, o desafio é constante, pois nessa área cumprir as leis significa ir contra interesses econômicos de muitas pessoas. Por isso, o trabalho do Batalhão Ambiental repercute diretamente no trabalho da Promotoria de Meio Ambiente, juntos somos mais fortes”, disse.
Negreiros agradeceu o apoio e a parceria dos órgãos de defesa ambiental do Estado que atuam de forma paralela ao trabalho da companhia e falou sobre a importância do investimento para a melhoria da qualidade do trabalho do Batalhão.
“Esse investimento na logística é de extrema importância tendo em vista a complexidade do nosso trabalho. O batalhão ambiental trabalha em áreas rurais e requer um grau de experiência e uma logística apurada para que possa desenvolver um trabalho com maior qualidade, equipamentos novos significam também motivação para os policiais que atuam nessa área específica”, afirmou.
O comandante-geral da PMAC, José dos Reis Anastácio, reforçou o compromisso no cumprimento da Lei de Crimes Ambientais, Lei n° 9605/98. “Cumprir a lei sem desrespeitar as pessoas, tentando compreender as situações de cada um”, é o principal desafio do batalhão.
O coronel reforçou ainda a importância da participação popular na denúncia contra os crimes ambientais. Os telefones para contato com a Companhia de Policiamento Ambiental são: 191 e 3227 5095.

Deixe uma resposta