1509-cotidiano-pracadostocos-tvgazeta

Praça dos tocos está abandonada

Prefeitura anuncia reforma no local

Um dos pontos turísticos e de lazer de Rio Branco está em situação de abandono. A praça dos tocos como é conhecida está com toda estrutura em madeira comprometida e os usuários pedem atenção do poder público para o local.

Ela tem vários nomes: Praça Antônio Júlio Maia de Queiroz – “Praça da Catedral”, mas é conhecida mesmo como Praça dos Tocos. O local durante o dia é frequentado pelo público que cruza as repartições públicas e comércio do centro de Rio Branco. À noite os quiosques com opções como o Tacacá abrem ao público. O problema é que os clientes estão se afastando, devido as condições de conservação da praça.

O deck está podre. Tábuas soltas e com pregos aparentes oferecem risco. Alguns bancos já foram tombados e o guarda-corpo está comprometido. Circular pelo local é uma aventura.

Além de desviar dos obstáculos empostos pelo abandono da praça, os turistas e a população encontram na estrutura placas indicando que o local está em obras pela Prefeitura de Rio Branco. Mas não é o que se vê. Não há vestígio de materias, nem de homens trabalhando. “Eu trabalho aqui constantemente, de dia e de noite e não vejo ninguém trabalhando”, informa o estudante Marcos Paulo. Ele também relata que um turista quase se acidentou ao tentar se apoiar em um guarda corpo. “Ontem a tarde o turista foi se escorar e ia caindo. Ia ser um acidente bem feio”, conta.

As péssimas condições do local sem dúvida deixam uma má impressão ao turista, ainda mais pela localização. A praça dos tocos ocupa um espaço privilegiado no centro da capital. Lixo e dejetos que se acumulam em abrigos formados nos porões da praça também provocam mal cheiro durante o dia. Os comerciantes reclamam da situação. “As pessoas comem aqui e é muito desagradável”, disse Dacilene Lima.

Segundo a Secretaria de obras de Rio Branco o contrato para a reforma da praça dos tocos já foi assinado. A prefeitura informou ainda que está providenciando um espaço para abrigar os comerciantes da área até que a reforma seja concluída.

Deixe uma resposta