1109-cotidiano-lixoes

Presidente do IMAC: “multas não resolvem problemas dos lixões”

Novo prazo será dado às prefeituras

A falta de aterros sanitários tem se tornado uma reclamação constante da população. O prazo de adequação das prefeituras terminou no dia 2 de agosto e, no Acre, apenas Rio Branco conseguiu cumprir as determinações exigidas.

Segundo o presidente do Instituto do Meio Ambiente do Acre (IMAC), Fernando Ferreira Lima, o órgão juntamente com a Procuradora Patrícia Rêgo e o Secretário de Estado de Meio Ambiente Edegard de Deus, se reuniram há 15 dias para buscarem uma saída e estender o prazo para que os municípios possam implantar aterros sanitários e se enquadrar nas exigências do Plano de Resíduos Sólidos.

Ele explicou também que multar as prefeituras não tem trazido resultados e que estes têm várias dificuldades para cumprir com determinações do plano. “Só autuar, e as prefeituras todas foram autuadas, na realidade, isso não resolve. O que os prefeitos nos colocam é que não têm recursos, que não têm uma qualidade técnica para fazer o plano de resíduos sólidos, para resultar em projetos e trazer recursos dos ministérios para investir nos aterros controlados”, disse.

Ainda segundo o presidente do IMAC, está sendo verificada a possibilidade de um novo prazo, além da elaboração de um projeto que auxilie as prefeituras na implementação do Plano de Resíduos, mas ainda não tem uma nova data acertada.

“Sentaremos, o Estado junto com o MP e representantes das prefeituras, e estudaremos uma forma deles terem acesso a projetos, além de capacitar os técnicos do Estado e das secretarias. Trazer recursos para eles trabalharem a questão do aterro sanitário, em um novo prazo, mas ainda não sei expressar que prazo que será este”, esclareceu Fernando Lima.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*