Banner prf-samu

PRF diz que legislação é para todos; para Samu, houve exageros

Por enquanto, a ambulância permanece parada até a correção das irregularidades

“A legislação serve para todos os veículos independente se é um veículo particular ou oficial. Claro que em caso de atendimento de ocorrências ou situação de emergência, a legislação é flexível, mas não era o caso no momento da ocorrência”, disse o inspetor da polícia rodoviária federal, Nelis Newton.

“Acho que ouve exagero dos colegas da polícia rodoviária federal. Mesmo entendendo que eles estão no papel deles, mas se tratando de uma instituição em a viatura estava em ocorrência, não custava nada ter entrado em contato, autuado, mas não levada ao pátio[do Detran]”, retrucou Lúcia Carlos, coordenadora do Samu.

As divergências são por causa de uma colisão envolvendo uma camionete e uma ambulância do serviço de atendimento móvel de urgência no último domingo, 25, na BR 364. A PRF foi acionada para atender a ocorrência e três irregularidades foram verificadas pelos agentes.

O motorista não possuía o curso para conduzir este tipo de veículo. A ambulância estava sem a documentação obrigatória e as placas estão ilegíveis. Como a equipe não estava em ocorrência, a PRF decidiu pela apreensão.

“A ambulância não transportava nenhum paciente e em nenhum momento foi informado que estaria em serviço de resgate ou buscar algum paciente. Por não ter condições de circulação naquele momento, o veículo foi retido e encaminhado ao pátio do Detran como procedimento de praxe”, explicou Newton.

Já a coordenadora do Samu apresenta outra versão. Segundo Lúcia Carlos, a viatura estava indo ao aeroporto de Rio Branco fazer o transporte de um paciente vindo do interior do estado. “As viaturas não ficam passeando na rua. Ela estava indo buscar um paciente de Santa Rosa do Purus, que por sinal ficou um tempão aguardando no aeroporto”, enfatizou.

Por enquanto, a ambulância permanece parada até a correção das irregularidades. Outra medida adotada é o levantamento de quantos motoristas não estão aptos a conduzir as viaturas do Samu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*