thumb decimoterceiro

Primeira parcela do 13º deve ser paga até 30 de novembro

Abono salarial mais uma vez salva endividados

As empresas de todo país têm até 30 de novembro para pagar a primeira parcela do 13º salário aos trabalhadores com carteira assinada. A segunda parcela deve ser paga até o dia 20 de dezembro. O abono salarial corresponde à metade do valor total da gratificação.

Muitos funcionários, mesmo antes de receberem a gratificação, já o comprometeram. O objetivo é usar o décimo para quitar as dívidas e começar o novo ano sem sufoco.

Pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) feita com 612 brasileiros de todas as classes sociais, aponta que  maioria dos brasileiros (62%) pretende usar o 13º salário para pagar dívidas, 1,64% a mais do que em 2012, segundo o levantamento. Apenas 14% pretendem usar o dinheiro para comprar presentes de Natal, 12,5% a menos que no ano passado.

“São dívidas acumuladas do ano. Com o décimo a gente paga boa parte e deixa as contas em dias. Quando as contas são poucas, a gente paga tudo, mas no meu caso, nem o décimo resolve, mas ajuda bastante”, disse a vendedora Adriana Cavalcante.

Outro trabalhador com o abono já comprometido, é o assistente administrativo Luciano Mendonça. Ele diz que não comprará presentes neste Natal para ninugém, pois a finalidade é quitar as dívidas que contraiu ao ingressar na empresa Telexfree.

“Pedi dinheiro emprestado de amigos e familiares para entrar na empresa. Com o bloqueio, não consegui pagar e minha esperança é o décimo para entragar a eles. Não aguento mais ser cobrado”, comentou.

Valor

Para saber qual o valor total do seu 13º basta dividir o salário de dezembro por 12 e multiplicar o resultado pelo número de meses que trabalhou no ano. Considera-se como mês integral o período igual ou superior a 15 dias trabalhados.

Por exemplo, um trabalhador que está há 10 meses na empresa e ganha R$ 3.000 por mês deverá receber o valor de R$ 2.500 referente ao 13º salário.

O cálculo ficaria assim: R$ 3.000 (salário de dezembro) dividido por 12 = R$ 250. Multiplica-se 250 por 10 (número de meses trabalhados) = R$ 2.500.

Descontos no salário

Os descontos referentes ao INSS (que pode ser de 8%, 9% ou 11%) e Imposto de Renda (que varia de 7,5% a 27,5%) serão calculados somente na segunda parcela da gratificação.

Economista diz que 13° salário deve ser direcionado ao pagamento de dívidas

A economista Maria Geralda Santos recomenda que o abono salarial seja usado para pagamento de contas. “É altamente aconselhável que o dinheiro não seja gasto sem controle”, disse.

Segundo ela, para quem está endividado, a melhor destinação deste dinheiro é pagar as dívidas e abrir mão com gastos desnecessários. “Mesmo que não seja possível quitar todas elas, escolha primeiro as mais caras, como as de cheque especial, de financeiras e de créditos rotativos de cartões de loja e de crédito”, orienta.

Outras dicas:

– Lembre-se das despesas de janeiro: Se não tiver dívidas para pagar, ou se sobrou algum dinheiro, antes de sair gastando, é bom lembrar que depois de dezembro vem janeiro, o mês dos “IS”, janeiro é o mês dos impostos como o IPTU e o IPVA, também tem as despesas com as escolas (material escolar e uniformes) e também tem  ihhh, não tenho mais dinheiro…

– Uma outra opção também é adiantar prestações: Se mesmo fazendo uma reserva para as despesas de janeiro ainda assim sobrou algum dinheiro, uma boa providência seria adiantar algumas prestações pela qual está se pagando juros, pois de acordo com o Código de Defesa do Consumidor, o mesmo terá direito á redução proporcional dos juros e demais acréscimos.

– Mas se, para você o céu estiver de Brigadeiro – nenhuma dívida e dinheiro sobrando – não será a hora de começar a fazer um pé-de-meia? Segundo o Instituto Brasileiro de Certificação dos Planejadores Financeiros (IBCPF), 85% dos brasileiros não tem nenhuma reserva financeira.

– Mas não deixe de reservar também um pouco do seu 13º salário para as alegrias da vida. Afinal, com as contas em ordem, dá para comemorar muito mais, não é mesmo?

Deixe uma resposta