0110-cotidiano-grevedosbancarios-cleriston

PROCON passa orientações a consumidores/correntistas

Nem todos os serviços podem ser resolvidos no auto-atendimento

Com a greve dos bancários alcançando o segundo dia e sem previsão de retorno ao trabalho, o Procon busca formas alternativas para evitar um prejuízo maior dos consumidores que não estão conseguindo pagar contas ou sacar dinheiro.

Um caso curioso, verificado pelos atendentes do PROCON: muitos clientes de banco estão sem o cartão de acesso a conta, e, por isso, não podem usar os caixas eletrônicos. Essas pessoas pagavam contas e sacavam dinheiro diretamente nos caixas de atendimento. Agora estão buscando ajuda no Procon, que está entrando em contato com as agências para evitar que essas pessoas fiquem sem dinheiro até para comprar alimentos.

“Infelizmente os bancos poderiam ter resolvido esse problema usando os 30% dos funcionários que estão trabalhando, mas só atendem os clientes sem cartão quando entramos em contato com a gerência”, disse Daniella Barcellos, chefe da divisão de reclamação do Procon.

Nos bancos as filas nos caixas eletrônicos são extensas, mas nem todos os serviços podem ser feitos pelas máquinas.

Para quem precisa pagar conta e fazer saques o Procon está orientando buscar as casas lotéricas. A pessoa pode pagar boletos de até R$ 2 mil quando for da Caixa Econômica e até R$ 700 em boletos de outros bancos, saques podem ser feitos até R$ 1,5 mil. Tem ainda os bancos postais nos Correios, que também têm valores para pagamento e saque limitados.

Para pagamentos com valores superiores aos aceitos nessas agências, o jeito é tentar negociar com a empresa e pedir prorrogação.

Para a chefe da fiscalização do PROCON, quem se negar a oferecer uma alternativa, a pessoa ‘prejudicada’ pode procurar o órgão de defesa do consumidor e até os juizados especiais. “Uma coisa é certa, o consumidor não pode ficar no prejuízo por uma situação em que ele não tem culpa” completou.

Deixe uma resposta