220217-cotidiano-fronteirafechada-alexandrelima

Protesto na fronteira já causa falta de combustível

Mais de 20 carretas impedidas de atravessar para Bolívia

Mais de 20 carretas estão impedidas de atravessar de Epitaciolândia, no Brasil, para o Departamento de Pando, na Bolívia. A causa do fechamento da fronteira ainda é o protesto da família de Sebastião Nogueira do Nascimento, raptado por policiais bolivianos na semana passada. A família bloqueou a Ponte Internacional há seis dias.

Sentindo falta de combustível nos postos de abastecimento, mototaxistas bolivianos também fecharam a ponte em protesto. O perigo é grande do lado brasileiro porque as carretas não estão estacionadas em pátios. Estão na rua.

“É uma carga perigosa. Não tem pátio. E a carga está toda armazenada na rua. A população está em perigo”, reclama o empresário Pablo Cardoso.

Para tentar resolver o problema, representantes do Ministério Público do Departamento de Pando e do Consulado da Bolívia se reuniram com representantes do Ministério Público do Estado do Acre.

O MP de Pando alegou que Sebastião Nogueira do Nascimento é acusado de integrar uma quadrilha que sequestrou um jovem na Bolívia ano passado. “Ocorre que a prisão de um cidadão brasileiro por meio de um sequestro é ilegal”, explicou o promotor de Justiça de Epitaciolândia, Ildo Maximiano.

O promotor lembrou que foi o rapto do brasileiro ocorrido na semana passada foi a segunda tentativa executada pelos policiais bolivianos. Em novembro do ano passado, acompanhado por policiais brasileiros, houve a primeira tentativa de levar Sebastião do Nascimento à força para o território boliviano.

O consulado da Bolívia tentou fazer com que a Polícia Federal resolvesse o problema. “A Polícia Federal não quer assumir a responsabilidade: falam que não é jurisdição federal”, lamentou o cônsul da Bolívia no Brasil, Vladmir Hurtado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*