1908-cotidiano-alcoolverde

Pulverização era feita sem autorização

Baixo valor de multa incentiva novas pulverizações

Pulverização nos canaviais da usina Álcool Verde, que podem ter resultado na morte de animais de produtores rurais, era feita sem autorização do IDAF, o Instituto de Defesa agroflorestal do Estado. A denúncia foi feita com exclusividade na TV Gazeta e no site Agazeta.Net.
Assim que os produtores rurais denunciaram as consequências da pulverização por avião nos canaviais da usina, no início desse ano, técnicos do IDAF foram até o local, que fica próximo a Capixaba. Descobriram que a empresa estava jogando inseticida para evitar o crescimento desigual das plantas.
Só que fizeram o serviço sem autorização do IDAF. Uma lei estadual determina que pulverizações só com liberação do órgão de proteção do Estado. Por causa do desrespeito à legislação foi aplicada uma multa de R$ 5 mil.
Um valor baixo se considerado que pode ter ocorrido um crime ambiental, principalmente depois de denúncias das famílias que moram próximas a usina.
Nossa equipe de reportagem conversou com um produtor que mostrou as ossadas de vacas que perdeu depois que os inseticidas foram jogados por um avião.
Um dos técnicos do IDAF que conversou com nossa equipe confirmou o flagrante e revelou que na época (janeiro), a empresa tinha uma autorização da superintendência do ministério da Agricultura.
Segundo o técnico do Ministério da Agricultura (que não será revelado), esse tipo de procedimento, a liberação, não pode ser simples. É preciso levar uma série de considerações técnicas, como por exemplo, saber quais produtos e equipamentos serão usados; é preciso verificar o avião, a altura do voo e até as condições do tempo.
A direção da Álcool Verde ainda não se pronunciou sobre o caso. Na superintendência do Ministério da Agricultura e no IDAF não encontramos os superintendentes, e ainda estamos aguardando os contatos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*