1608-cotidiano-alceuranzi

Ranzi avalia política para preservação de patrimônio

“Figuras foram construídas por ‘pessoas especiais’”

O paleontólogo Alceu Ranzi foi um dos convidados do ‘Gazeta Entrevista’ da última sexta-feira, 15. Os geoglifos estiveram na pauta de conversa com o jornalista Rogério Wenceslau.

Descobertas na década de 1970, as enormes figuras geométricas foram desenhadas há milhares de anos por povos que habitaram a região que compreende os estados do Acre, Amazonas e Rondônia.

Foi Ranzi, no início dos anos 90, que impulsionou uma divulgação maior dos geoglifos. Os pesquisadores tentam achar as respostas para dois questionamentos: Qual a utilização e quem construiu as figuras.

Alceu acredita que os desenhos feitos com perfeição eram utilizados para rituais religiosos. Possivelmente construídos por povos indígenas do passado. “Eles não tinham ferramentas. Além do esforço físico, tinha o mental”, explica.

O aparecimento das estruturas só foi possível por causa da derrubada da floresta ocasionado pela expansão da pecuária. Questionado sobre a capacidade humana para este tipo de engenharia, o paleontólogo foi direto: “Eram pessoas especiais”.

Ele ainda foi além e enfatizou que a Amazônia tem muito a revelar. Pesquisadores já estudam a possibilidade de transformar as estruturas geométricas em patrimônio da humanidade. Esta semana, Rio Branco recebeu um encontro internacional para debater a possibilidade.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*