290517-cotidiano-br364-tvgazeta

Recursos garantem recuperação da BR-364 até Tarauacá

Retomada efetiva de obra só no verão, diz Dnit

As obras de recuperação da BR-364 deveriam ter começado no início desse mês. As fortes chuvas fora de época impediram que as máquinas fossem para o trecho. Só que as notícias sobre os serviços que podem garantir o tráfego entre Rio Branco e Cruzeiro do Sul não são animadoras: se não aparecer mais recursos, as obras de recuperação vão parar em Tarauacá.

O dinheiro que o Dnit dispõe R$ 120 milhões dá para trabalhar os trechos entre Sena Madureira e Tarauacá. Para continuar os serviços até o rio Liberdade, mais 220 quilômetros são necessários mais R$ 240 milhões, recurso que, segundo o superintendente do Dnit, Thiago Caetano, precisa se conseguir com urgência.

“Se a bancada federal do Acre não conseguir esse dinheiro não tem como fazer o restante da obra. Até Tarauacá em três meses conseguimos recuperar o trecho, depois que é a parte mais crítica precisamos do dobro de dinheiro”, alertou.
Enquanto o dinheiro para a recuperação não aparece o Dnit apenas garante que vai trabalhar nos pontos mais críticos.

É justamente nesse trecho que estão os piores pontos da BR364. Faltando 90 quilômetros para chegar a Cruzeiro do Sul se formaram vários atoleiros. Com as chuvas na semana passada, a rodovia ficou fechada e um longa fila de caminhões se formou por três dias.

Entre Tarauacá e Feijó, são apenas 45 quilômetros, mas gasta-se até quatro horas para percorrer o trecho por causa das crateras.

A superintendência do Dnit informou que os serviços de recuperação só começam quando as chuvas pararem. “Se fizermos qualquer intervenção agora estaremos jogando dinheiro fora. Vamos manter as máquinas na estrada para evitar a formação de mais atoleiros e ajudar os motoristas. Vamos manter a BR aberta”, garantiu Thiago Caetano.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*