021117-cotidiano-enemaula-tvgazeta

Leitura e visão crítica fazem a diferença na Redação do Enem

Turmas lotadas para receber orientações dos professores

No próximo final de semana, iniciam as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O “bicho papão” para muita gente é a Redação. Por isso, fomos atrás de uma professora de Língua Portuguesa, que dá agora algumas dicas de como ter um bom desempenho nessa missão específica do exame.

O peso da nota da redação do Enem, sem dúvida, já deixa os candidatos conscientes da importância de fazer um bom texto.
A dissertação vale 1000 pontos e se não for bem desenvolvida pode fazer a diferença na nota final. Saber de que forma a redação é avaliada é o primeiro passo para o candidato saber aonde ir. Essa é uma das dicas da professora de língua portuguesa, Nayra Colombo.

“Existe uma matriz com cinco competências, desde gramática, parte textual, pontuação, até a proposta de intervenção do último capítulo. Então: coerência, coesão, argumento. É importante saber o que é que vai ser exigido e, para isso, o candidato precisa saber disso, deixa uma segurança para qualquer tema que for debatido”, explica.

Além do tripé conhecido, composto pela introdução, desenvolvimento e conclusão, outra sugestão da educadora, é a leitura, que ajuda na redação e na prova como um todo.

“É importante, antes da prova, fazer algumas redações, treinar, saber qual é a estrutura do texto e a forma. O conteúdo ele vai adquirir através das leituras, do conhecimento de mundo, daquilo que a escola ensinou. Nas provas objetivas, o candidato precisa entender que há uma habilidade muito importante que ele tem que desenvolver que é a leitura. É a partir do conhecimento da questão da leitura, da interpretação que ele faz do que tá sendo pedido que ele consegue compreender a resposta que ele precisa dar”.

E o tema da Redação? Essa é uma curiosidade que muitas vezes deixa os candidatos de cabelo em pé, ansiosos por saber se vão dominar ou não. Nayra arrisca alguns como: Política, questões de gênero, posicionamento em redes sociais e drogas. Mas, o tema que ela aposta é bem mais abrangente.

“Eu penso que meio ambiente é algo muito natural que caia porque vem sendo discutido há alguns anos e nos últimos exames a gente não tem tido muito, não. Aposto um pouco em meio ambiente”, opina.

É bom que as dicas parem por aí, porque se não pode confundir ainda mais quem já tem tanta informação para repassar nesses últimos dias. Entre as orientações que a professora deixa estão: esvaziar a mente, manter a calma. “É ler com muita atenção, ter muito cuidado e boa sorte para todo mundo”, finaliza.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*