thumb rioacrequarta

Rio Acre sobe e continua desabrigando famílias

Rio Acre sobe e continua desabrigando famílias

Durante o dia, o rio Acre subiu e está na cota dos 15 metros e 20 centímetros. Mais de 180 famílias já foram abrigadas no parque de exposição e não cessa o atendimento às vítimas que pedem remoção.

Da sala de situação, a defesa civil consegue informações que antecipam a execução de tarefas. Os sites que informam a previsão do tempo, a quantidade de chuvas e até a hora em que vão cair, auxiliam no monitoramento diário dos rios acreanos e ajudam a organizar o quantitativo de material e pessoal necessário para as atividades de auxílio às vitimas.

Nos últimos dias, a sala de situação tem constatado vazante nos rios dos municípios acima de Rio Branco, no entanto, o riozinho do rola, principal afluente, se mantém subindo. A previsão meteorológica também indica que teremos chuva até o dia 28 de fevereiro. “O que está alagando Rio Branco é o riozinho do rola, que está enchendo de forma intensa. De ontem para hoje a gente tinha um metro de água entre o riozinho e o rio Acre e hoje está quase a mesma coisa”, disse o coordenador da defesa civil estadual, Coronel Gundim.

Nesta quinta-feira, o rio Acre alcançou a marca de 15 metros e 20 centímetros. Durante o dia subiu quase 10 centímetros. Nas áreas de risco, as águas avançam até as casas, expulsando os moradores mais uma vez.

A defesa civil já removeu mais de 180 famílias de 13 bairros afetados pela alagação. Diariamente são recebidos cerca de 50 pedidos de socorro. Na tarde desta quinta-feira, o serviço de atendimento as vítimas se concentrou no bairro Taquari.

Maria Antônia e os 4 filhos estão prontos para sair. A dona de casa reclama que o pedido de remoção demorou a ser atendido. Ela tinha expectativa de que as águas baixassem, mas quando viu que não era mais seguro ficar, pediu ajuda. “Tive que sair por que tá muito alta a água. Falta um palmo pra chegar na minha casa e a casa é alta”, disse.

Saiba mais:

Rios acreanos voltam a subir e desabrigam mais famílias

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*