thumb Conflitolei

Saúde de adolescente em conflito com a lei é debatida na Capital

Oficina está sendo realizada na cidade de Rio Branco

O Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de saúde realizam em Rio Branco oficina sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde de Adolescentes em Conflito com a Lei (PNAISARI). Através da capacitação, os centros sócio educativos do interior do Estado terão acesso à recursos financeiros.

Representantes da rede de assistência à saúde, assistência social e Instituto sócio educativo participam da 1ª oficina de trabalho da política nacional de atenção integral à saúde de adolescentes em conflito com a lei (PNAISARI).

De acordo com a iniciativa federal, todo adolescente privado de liberdade provisória ou definitiva deve receber atenção de saúde integralmente e o serviço deve ser oferecido pela rede local de saúde.

No Acre, apenas Rio Branco implantou o programa, onde são atendidos cerca de 230 adolescentes em 4 unidades sócio educativas. “Nós não queremos apenas focar na recuperação da saúde, mas na prevenção e promoção”, disse a enfermeira da área técnica de saúde de adolescentes e jovens da Sesacre, Emanuelly Nóbrega.

A capacitação visa levar o PNAISARI para todos os centros sócio educativos dos municípios do Estado. As unidades de Cruzeiro do Sul, Feijó e Sena Madureira aderindo ao programa, passam a receber incentivos financeiros para executar ações na área de promoção e prevenção à saúde dos adolescentes internados. “Hoje pactuamos com os municípios como será o atendimento para que seja feito o cadastramento dessas equipes e que eles possam ajudar no atendimento desses adolescentes”, disse o presidente do ISE, Leonardo Carvalho.

Saúde de adolescentes em conflito com a lei é debatida em Rio Branco

Oficina sobre atenção integral está sendo realizada na capital acreana

O Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de saúde realizam em Rio Branco oficina sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde de Adolescentes em Conflito com a Lei (PNAISARI). Através da capacitação, os centros sócio educativos do interior do Estado terão acesso à recursos financeiros.

Representantes da rede de assistência à saúde, assistência social e Instituto sócio educativo participam da 1ª oficina de trabalho da política nacional de atenção integral à saúde de adolescentes em conflito com a lei (PNAISARI).

De acordo com a iniciativa federal, todo adolescente privado de liberdade provisória ou definitiva deve receber atenção de saúde integralmente e o serviço deve ser oferecido pela rede local de saúde.

No Acre, apenas Rio Branco implantou o programa, onde são atendidos cerca de 230 adolescentes em 4 unidades sócio educativas. “Nós não queremos apenas focar na recuperação da saúde, mas na prevenção e promoção”, disse a enfermeira da área técnica de saúde de adolescentes e jovens da Sesacre, Emanuelly Nóbrega.

A capacitação visa levar o PNAISARI para todos os centros sócio educativos dos municípios do Estado. As unidades de Cruzeiro do Sul, Feijó e Sena Madureira aderindo ao programa, passam a receber incentivos financeiros para executar ações na área de promoção e prevenção à saúde dos adolescentes internados. “Hoje pactuamos com os municípios como será o atendimento para que seja feito o cadastramento dessas equipes e que eles possam ajudar no atendimento desses adolescentes”, disse o presidente do ISE, Leonardo Carvalho.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*