Sem vacina de gripe, previsão de entrega de novas doses é em abril

População só procurou se imunizar quando o surto da doença começou no Acre

A vacina contra a influenza que previne contra três tipos de gripe está em falta no Acre. Principalmente em Rio Branco que já não tem mais em nenhuma unidade de saúde. Isso tem revoltado a população que tem procurado essas unidades. Devido inclusive a esse surto de gripe que acontece no estado.

Sobre este assunto, a coordenadora estadual de imunização, Renata Aquiles, falou que essas doses são enviadas pelo Ministério da Saúde. A campanha de imunização começa no mês de abril, mas devido à baixa procura no ano passado, o Ministério abriu para todas as pessoas, antes era somente um grupo prioritário.

Ainda assim a procura ficou baixa. Quando o surto de gripe começou, as pessoas procuraram as unidades de saúde. Mas as doses se esgotaram rapidamente porque elas vieram anteriormente somente para o público prioritário. Cerca de 300, 015 mil doses. O que é insuficiente para todo o estado.

Tentou-se pedir mais doses para o Ministério da Saúde, mas não foi possível porque é produzido por meio de cota única. E o que pode ser feito é antecipar a campanha de vacinação deste ano de abril para o mês de março.

Em entrevista, Renata Aquiles afirma: “[As doses contra a influenza] tem como objetivo a vacinação de grupos prioritários. Que são pessoas que em contato com o vírus da influência eu tenho muito mais chance de internação, grave ou ir a óbito pela doença. Aqui no estado do Acre nós estávamos com a campanha aberta desde o mês de abril de 2021. E o envio dessas doses é uma vez somente, é uma cota com base no público alvo, então nós temos aqui uma meta estadual de 300, 015 mil pessoas entre crianças, gestantes, puérperas, professores, população privada de liberdade, indígenas, pessoas com comorbidades que são pessoas, que tem uma saúde fragilizada que em contato com o vírus tem mais chances de morrer”.

Rio Branco ano passado apresentou a pior cobertura vacinal de todos os tempos, com apenas 25% de vacinados. Esse dado mostra uma banalização da importância das vacinas por parte da população. Sendo assim, o Ministério da Saúde entendeu que poderia abrir a vacinação para a população geral.

“Quem não entende ainda a importância da vacina, tem a oportunidade de entender agora. Porque nós tivemos a pior cobertura vacinal de influenza no Brasil, o surto apareceu e dando chance, dando margem para novas variantes. O que aconteceu? A população veio procurar a vacina já tardia, de forma tardia, quando já estavam acabando. Já fizemos várias solicitações ao Ministério da Saúde e a resposta é a mesma. Não haverá envio de novas doses. não ser para a próxima campanha que está previsto pro mês de abril”, conclui a coordenadora estadual de imunização.

Deixe uma resposta