2008-cotidiano-serasa

Serasa Experian constata inadimplência de 2,24%

No Acre, 7,83% dos cheques foram devolvidos em julho

O percentual de devoluções de cheques pela segunda vez por insuficiência de fundos foi de 2,24% no mês de julho, é o que revela o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. No mesmo mês do ano passado, esse percentual foi de 2,03%. Este é o maior nível de inadimplência para o mês de julho deste o início da série histórica em 1991. Foi uma alta também em relação ao mês de junho/14, quando a inadimplência com cheques foi de 1,92%.

Já no acumulado dos primeiros sete meses deste ano, o percentual de devoluções foi de 2,11%. No mesmo período do ano passado, esse percentual foi de 2,07%.
Segundo os economistas da Serasa Experian, a alta da inadimplência com cheques revela a maior dificuldade que o brasileiro está tendo para honrar com seus compromissos financeiros no início deste segundo semestre do ano. Estagnação da economia, juros elevados, inflação ainda em patamar desconfortável e enfraquecimento do mercado de trabalho são alguns dos elementos que contribuem para esta elevação.

No Norte

Roraima liderou o ranking estadual dos cheques sem fundos nos primeiros sete meses de 2014, com 12,13% de devoluções. O Amazonas, por sua vez, foi o estado com o menor percentual (1,15%). Entre as regiões, a Norte foi a que liderou o ranking, com 4,31% de cheques devolvidos, ao passo que a região Sudeste foi a que apresentou o menor percentual (1,62%).

Em todo o país, a devolução de cheques em julho/14 foi de 2,24% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,92% registrada em junho/14. Em julho/13, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no país havia sido de 2,03% do total de cheques compensados.

Na região Norte, a devolução de cheques em julho/14 foi de 4,50% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 3,91% registrada em junho/14. Em julho/13, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Norte havia sido de 4,46% do total de cheques compensados.

No Acre, a devolução de cheques em julho/14 foi de 7,83% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 5,30% registrada em junho/14. Em julho/13, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Acre havia sido de 8,76% do total de cheques compensados.

No Amazonas, a devolução de cheques em julho/14 foi de 1,12% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,01% registrada em junho/14. Em julho/13, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Amazonas havia sido de 1,33% do total de cheques compensados.

No Amapá, a devolução de cheques em julho/14 foi de 13,89% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 11,10% registrada em junho/14. Em julho/13, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Amapá havia sido de 6,52% do total de cheques compensados.

No Pará, a devolução de cheques em julho/14 foi de 5,17% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 4,41% registrada em junho/14. Em julho/13, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Pará havia sido de 4,93% do total de cheques compensados.

Em Rondônia, a devolução de cheques em julho/14 foi de 6,62% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 6,40% registrada em junho/14. Em julho/13, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Rondônia havia sido de 6,09% do total de cheques compensados.

Em Roraima, a devolução de cheques em julho/14 foi de 13,32% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 11,91% registrada em junho/14. Em julho/13, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Roraima havia sido de 12,94% do total de cheques compensados.

No Tocantins, a devolução de cheques em julho/14 foi de 6,14% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 5,13% registrada em junho/14. Em julho/13, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Tocantins havia sido de 5,83% do total de cheques compensados.

Deixe uma resposta