Sindicato dos médicos anuncia possível colapso no Pronto Socorro

Gerencia do hospital informou que solicitações já foram encaminhadas a Sesacre

O sindicato dos médicos denuncia a falta de estrutura, de profissionais e de medicamentos no Pronto Socorro de Rio Branco, nesta semana, o Sindmed anunciou o possível colapso por falta de anestesista e de equipamentos.

Segundo o presidente do Sindmed, Guilherme Pulici há falta de equipamentos e a escala apresenta problemas por haver poucos profissionais do quadro.

“Só há um anestesista no hospital, quando era para ser pelo menos dois, já que temos duas salas para cirurgia. Há um aparelho quebrado em uma das salas de cirurgia então sempre precisamos ter um reserva em funcionamento. Não podemos ter um hospital da magnitude do Pronto Socorro que dá cobertura para toda a população acreana com apenas um anestesista e uma sala de cirurgia funcionando”, relatou o presidente.

Ainda segundo Guilherme, a representação dos médicos deve levar as denúncias para o Ministério Público do Acre (MPAC) para que a Secretaria de Estado da Saúde (Sesacre) tome providências o mais rápido possível.

A gerente geral do Pronto Socorro explica que a ausência de anestesista é um problema antigo, que solucioná-lo encontra obstáculos burocráticos e a inexistência de mão de obra especializada.

“Trabalhamos com um quantitativo limitado na cidade desses profissionais, justamente por ser um profissional muito qualificado e com isso a escala acaba ficando desfasada”, informou Caroline Roque, gerente geral do Pronto Socorro.

Sobre os equipamentos e as problemáticas apresentadas pelo Sindmed, Roque informou que já foi solicitado por documento a Sesacre, mas que por questões burocráticas de licitação há uma demora na resposta. “O hospital não tem poder de gerenciar verba, temos que solicitar o serviço”, concluiu.

Deixe uma resposta