thumb aids

Teste rápido de HIV será vendido nas farmácias

Mais de 700 casos da doença foram notificados no Acre

Para facilitar o diagnóstico do HIV e antecipar o tratamento de pessoas que podem desenvolver a aids, o Ministério da Saúde deve autorizar a venda, em farmácias, de um teste rápido para detectar o vírus, a partir de fevereiro de 2014. Produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o exame é feito em 20 minutos, com coleta de saliva pela própria pessoa, e deverá custar R$ 8.

No Acre, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre), 706 casos foram notificados no Estado. Os homens são os responsáveis pelo maior número de casos. Em relação aos municípios acreanos, Sena Madureira, Manoel Urbano, Cruzeiro do Sul e Senador Guiomard possuem o maior número de pessoas infectadas.

Dados do Ministério da Saúde apontam que cerca de 150 mil pessoas, de um total de 700 mil estimadas com a doença, não sabem que têm o vírus HIV.

Ontem (1°), Dia Mundial de Luta contra a Aids, o Ministério da Saúde anunciou algumas medidas em relação ao tratamento para pessoas com o HIV. Antes, somente pacientes com a doença desenvolvida recebiam medicamentos.

De acordo com o ministério, o teste rápido de HIV tem duas vantagens: Uma delas é a confidencialidade. A pessoa vai à farmácia pega o teste e faz em casa, sem precisar ver um agente de saúde e dividir isso com ninguém.

A segunda vantagem é a rapidez, não tem fila, não precisa ir ao posto, não precisa esperar o tempo que leva para sair o resultado de um exame normal.

Ao disponibilizar o teste rápido de HIV, vendido na internet por um laboratório americano por cerca de R$ 160, o ministério pretender iniciar o tratamento mais cedo e melhorar a qualidade de vida de pessoas com HIV, além de reduzir em cerca de 96% o risco de contágio, principalmente para parceiros fixos ou durante a gestação, quando o vírus pode passar da mãe para o bebê.

Deixe uma resposta