020320-tjac-morfina-condenacao

TJAC condena servidor por fraudar prontuário médico

Pessoa conseguiu morfina e aplicou sem autorização médica

A 2ª Vara Criminal de Rio Branco condenou um servidor público por fraudar prontuário médico para conseguir o remédio morfina e aplicar, sem autorização médica, em outra pessoa, que também sofreu condenação pela unidade judiciária.

Na sentença, a juíza Maria Rosinete, destacou que “a administração de forma desregular de qualquer medicação causa prejuízo ao paciente, sobretudo um remédio que tem efeitos como a morfina, agindo, assim, de forma completamente negligente”, disse.

De acordo com a sentença, a pessoa que recebeu morfina também foi condenada pelo fato de ter ciência da atitude errada e, mesmo sem receita ou determinação médica, procurou o funcionário do hospital para conseguir a medicação e fazer a aplicação.

O servidor público recebeu pena para prestação de serviços à comunidade, a ser cumprida nos moldes do art. 46 do Código Penal (CP), e ao pagamento da multa no valor de R$ 1.000.

O solicitante do medicamento também foi condenado à prestação de serviços à comunidade, a ser cumprida nos moldes do art. 46 do CP, e limitação de fim de semana, por igual período, a ser cumprida nos moldes do art. 48 do CP.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*