081117-cotidiano-turismo-tvgazeta

Trilha Chico Mendes pode integrar Ultramaratona

Empresário discute apoio ao evento com gestores públicos

Representantes da Secretaria de Estado de Turismo e Lazer (Setul) e discutiram com um empresário português sobre a possibilidade de a Trilha Chico Mendes receber a Ultramaratona Amazônica. A trilha foi recentemente reaberta e começa a chamar a atenção de esportistas e amantes do ecoturismo.

Paulo é um dos maiores organizadores de ultramaratonas do país. Ele conta que conheceu a trilha por meio da internet. Após entrar em contato com a secretaria de Estado de Turismo, ele veio ao Acre para conhecer a estrutura do percurso. “Se eu já gostava da trilha conforme ela era apresentada na forma digital, vivendo o momento as coisas são significativas mesmo, é muito mais interessante”.

A expectativa é que a Ultramaratona Amazônica aconteça em outubro de 2018. “Vamos ter que trabalhar muito esta ultramaratona. Vamos precisar de muitos envolvidos. Uma maratona não se faz apenas com um empresário lá em Portugal. Tem que haver uma união de esforços, com as instituições, o governo, empresários, voluntários, instituições que estão aqui envolvidas para que a prova tenha sucesso”, completou o empresário.

A Reserva Chico Mendes, onde está localizada a trilha que leva o mesmo nome, ocupa 970 mil hectares em 7 municípios. A trilha tem extensão de 84 quilômetros e abrange os municípios de Xapuri e Assis Brasil.

A ideia é aumentar essa abrangência futuramente, já que cerca de duas mil famílias vivem na área de reserva, um total de 10 mil pessoas, e essas famílias seriam beneficiadas pelo turismo no local.

“A proposta é que a gente sempre trabalhe o Turismo de base comunitária para fortalecer as comunidades. E a trilha Chico Mendes, como está localizada dentro de uma reserva extrativista, a proposta é que a gente trabalhe esse plano de negócio para a comunidade,” disse a secretaria de turismo, Rachel Moreira.

De acordo com o analista ambiental da Resex Chico Mendes, Fernando Maia, a trilha é rica em biodiversidade e na parte cultural, com as famílias de seringueiros que residem no meio da mata e que preservam os costumes de décadas passadas.

“A trilha é um produto turístico concebido a partir da história da Resex Chico Mendes, pela luta socioambiental, pela luta
da floresta em pé. Ela vem fomentar essa parte de renda da comunidade, mas, ao mesmo tempo, vem fortalecer a ideia de que a floresta tem que permanecer como fonte de renda pras comunidades”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*