Capitão Ciríaco é o maior parque seringal urbano do mundo

Aberto todos os dias, horários de visitação são a partir das 8 horas até ás 17 horas

O Seringal Urbano Parque Capitão Ciríaco é um espaço histórico que te leva a vivenciar a Revolução Acreana, e também uma opção de lazer. Ele é considerado o maior parque seringal urbano do mundo, e com isso um dos principais pontos turísticos de Rio Branco.

Ele fica localizado na rua Parreira Passos, número 225, no bairro Seis de Agosto. E os horários de visitação são a partir das 8 horas até ás 17 horas, e é aberto todos os dias.

O local faz com que você retorne ao passado e vivencie os principais momentos históricos que vimos nos livros, como a Capela Nossa Senhora da Seringueira, que é uma réplica das antigas igrejinhas simbolizando àqueles de votos que viviam em seringais cultuando sua fé.

Foto: Cedidas

Tem também Redário da Leitura, que é para quem aprecia uma boa leitura, o espaço será para quem quiser esticar sua rede e ler um bom livro. A Casa do Seringueiro e Defumador, é o local no qual retrata o cotidiano familiar e de trabalho do seringueiro. Na casa são expostos utensílios usados na moradia do seringueiro e no defumador serão expostos todos os elementos que são utilizados no processo de defumação do látex.

Foto: Cedidas

Para quem não abre mão do lazer em família, o local também disponibiliza ambiente para piqueniques, área para praticar esportes, como vôlei, futebol e a pista para a caminhada. Além disso, uma opção para quem deseja tirar fotos ou fazer books fotográficos.

Foto: Cedidas

Saiba mais

A história do conhecido “sítio” que leva o nome do Capitão Ciríaco e da tão famosa “casinha” que ele, a esposa e seus filhos Lúcia, Olívia e Antônio viveram uma rica história de amor em terras acreanas. O espaço surgiu numa época em que a Estrada AC- 1 era apenas um varadouro, e foi sendo construído a cada árvore plantada, algumas importadas de Belém-Manaus a pedido do Capitão aos seus amigos navegadores.

Com o passar dos anos, além das fruteiras aumentava-se a quantidade de seringueiras no local, e assim o sítio ganhava ares de seringal em pleno centro da cidade de Rio Branco. Um seringal de cultivo que gerava bastante lucro, produzindo borracha de alta qualidade, o que contribuía para que o Capitão Joaquim de Oliveira tivesse mercado garantido em Manaus, onde negociava diretamente sua mercadoria.

Os anos foram passando e o sítio que agora se transformara em Seringal garantia o sustento da família. O Sitio sempre foi um porto seguro para o velho Capitão que passeava por entre as seringueiras e transmitia sabedoria e experiência para os seus descendentes, ensinando o rico ofício de seringueiro: cortar, defumar e fabricar objetos de látex.

Dessa forma, ao longo dos anos a família Ciríaco soube preservar o espaço protegendo o ambiente dos invasores, fato este que contribuiu para que hoje conheçamos parte da estrutura física originária e natural do espaço.

No ano de 1994, a Prefeitura Municipal de Rio Branco comprou o espaço da família e o transformou em Parque Capitão Ciríaco e foi dessa forma que o antigo seringal de cultivo, passou a ser um Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Paisagístico e Ambiental dentro da área urbana de Rio Branco.

Em 2016, o parque sofreu um incêndio criminoso e agora em 2020, após um processo de revitalização, o único Seringal urbano do mundo está sendo entregue novamente a comunidade, mantendo viva assim, a memória material e imaterial do período da economia da borracha – dos Seringais, do velho Capitão e suas Seringueiras.

Para que acontecesse a revitalização do Seringal Urbano Parque Capitão Ciríaco, museu ao ar livre, foram destinados recursos próprios da Prefeitura Municipal de Rio Branco e também utilizou emendas parlamentares. O Deputado Federal Léo de Brito, destinou emenda para a construção do novo trapiche de acesso ao parque. O Vereador Rodrigo Forneck, destinou emenda para a montagem de exposição e o Vereador Mamed Dankar, destinou emenda para os mobiliários do parque.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*