Rapper de Cruzeiro do Sul vem conquistando os acreanos

Filipe Cavalcante possui cerca 4 mil ouvintes mensais no Spotify

Natural de Cruzeiro do Sul, Filipe Alexandre Cavalcante, é 1° sargento do Corpo De Bombeiros, além disso, o militar de 33 anos também divide o tempo diário com a sua carreira musical, que o levou a alcançar milhares de acessos no Spotify e no YouTube.

Cavalcante começou muito cedo, desde que nasceu ele convivia com uma família cheia de histórias que se destacavam na área da música, e foi por causa disso que a mãe o inscreveu em um coral, para começar a aprender conceitos musicais, mas foi só nos seus 16 anos, assistindo a um programa de TV, que o gênero musical rap começou a fazer parte da sua vida.

“Meu irmão e eu fazíamos os bits e as letras em casa e partíamos para escola, qualquer evento a gente estava lá cantando. Meu irmão foi a minha inspiração, ele faleceu há 10 anos, logo quando comecei, ele é que era o músico da família. Com o falecimento dele, eu jurei me tornar o músico da família”, relembra Filipe.

Atualmente Cavalcante conta com 4 mil ouvintes mensais somente no Spotify. Entre os seus hits mais ouvidos está a música “Modo Vôo”, gravada com o moçambicano, Anibal Neves, e é uma das mais queridas pelo público. Recentemente o cantor também gravou a música “Trintona”, que está atualmente com mais de 4 mil visualizações no Spotify.

O que surpreende na história do cantor, é o fato de realizar as produções musicais apenas com a ajuda de amigos. O músico contou receber bastante ajuda de outro profissional conhecido como KMZ MC. “Ele é o meu mentor e uma fonte de inspiração para mim”, conta. Além desta inspiração, Cavalcante relata possuir outros parceiros que são fundamentais para a continuação das produções, pessoas estas que estão espalhadas por toda a Região Norte.

Filipe afirma que muito em breve novas produções serão publicadas. “Estamos querendo conquistar a cena nacional, abraçar esse objetivo com toda força, além de desejar ser reconhecido nacionalmente e pelo nosso povo acreano”, conclui.

01 Comentário

Deixe uma resposta